..................................................................................................................................................................
Recordar é Viver!

por Asséde Paiva (escrito em 20/9/2009)
(rosarense), bacharel em Direito e Administrador. Autor de Organização de cooperativas de consumo (premiado no IX Congresso Brasileiro de Cooperativismo, em Brasília); Brumas da história do Brasil. RIHGB nº 417, out./dez. 2002; Possessão, São Paulo: Ícone Editora, 1995; O espírito milenar, Goiânia: Editora Paulo de Tarso, s.d. Trabalhou na CSN 35 anos.

6836 acessos.

..................................................................................................................................................................
OS ALMEIDA PAIVA

Ao Didinho

Quem foram Tinga, Bebeca, Lenca? Quem foram tia Vina, Biá, Lisandro Franco, Neca Gomes? e muitos outros? Das profundezas abissais de minha mente aflora um nome: Glicéria. Quem foi Glicéria? Sei que era de Santos Dumont e minha mãe falava muito nela, só isto.

Genealogia é reconstituir o passado em detalhes, porém, até onde pude ir (trisavôs), não vi personagens importantes na vida nacional; nenhum barão de café, ou coronel da Guarda Nacional. Todos foram singularmente simples, analfabetos ou de poucas luzes e quem foi muito longe não passou de fazendeiro. Muitos dos que conheci sofriam nas garras da fome e eram roceiros, colonos, arrendatários, sitiantes, tropeiros, criadores de gado, boiadeiros, padres , freiras, mateiros, comerciantes e bóias-frias. Consolo-me, porque na minha árvore não apareceu nenhum bandido. Entre os remediados cito meu avô Francisco Manoel de Almeida, que chegou a ter 140 alqueires de terra, e pôs tudo fora com má gestão e muita farra.

A minha pesquisa foi, pois, muito difícil e, em nível de tetravô ficou tão rala, como perneira furada, que desisti. As fontes (batistério e registro civil) não eram confiáveis. Peço a ajuda daqueles que se interessam por genealogia, para que enriqueçam meus dados. Como disse acima, uns parentes foram ricos, ou remediados; outros, pobres ou abaixo da linha de pobreza, não importa o que sejam ou foram; para mim são todos iguais, pois a morte os nivelou ou vai nivelar.

Quando possível, fornecerei detalhes. Posso afirmar que a maioria de meus antepassados é de Minas Gerais, Zona da Mata, e sob influência econômica e geográfica de Juiz de Fora. Consideremos que viveram num polígono formado por: Dores do Turvo, Chapéu D’Uvas, Antônio Carlos, Divinésia (ex-Divino de Ubá), Rio Pomba, Ubá, Juiz de Fora, Bias Fortes, Bicas, Lima Duarte, Paula Lima, Mercês e Santos Dumont; tendo como epicentro o lugarejo denominado Rosário de Minas, um distrito/bairro de Juiz de Fora (da qual dista 48 km).

Antes, porém, quero registrar minha homenagem especial a um grande e inesquecível amigo Jair Moreira de Novais (Didinho); filho de Tianica e Nenzinho. Fomos amigos inseparáveis dos seis aos vinte anos. Depois cada um viveu o seu destino. Reencontramos algumas vezes, poucas. Ainda que distantes, nossa amizade durou a vida inteira e é difícil esquecer tudo que passamos juntos. Foram grandiosos, divertidos, alegres os momentos mágicos que vivenciamos. Nossa ligação estava acima do sangue, éramos almas gêmeas. Didinho espero do fundo do coração, que tenha encontrado paz junto a Deus.
A regra que vou seguir para minha genealogia é muito simples: Partindo dos meus pais vou numerar, em algarismos arábicos, todos os nomes. Quando à direita, o número apenas informa que se repetirá na sequência à esquerda, e significa serem os progenitores do citado antes. Exemplificando, meus pais:

Maria das Dores de Almeida 1
Cc João Domingos de Oliveira 2
Cc = casado com


Iniciarei minha genealogia partindo de minha mãe, até os trisavôs paternos e maternos.

Maria das Dores de Almeida (Didi) 1
Cc João Domingos de Oliveira (Minga) 2 (dos Caramonha. Onde é isto?)
1 Maria Ignácia de Oliveira 15/8/1894 (Nhanhá) 3
Cc Francisco Manoel de Almeida (Chiquinho ou Almeida) 4 (fazenda são Mateus, em Rosário)
3 Joaquim Carlos de Oliveira (Quinca) 5
Cc Maria Umbelina de Aquino (Madrinha Dona) 6 (de Paula Lima)
4 Manoel Antônio de Almeida (Neneca) 7 (fazenda dos Arrependidos, em Penido)
Cc Ignácia Maria de Jesus 8
5 Domingos Gomes da Silva 9
Cc Maria Luíza do Rosário 10
6 Francisco Antônio de Almeida e Silva 11
Cc Umbelina Carolina de Aquino (Mãezinha) 12
7 Francisco Antônio de Almeida (Chiquinho) 13
Cc Rita Esmério de Almeida 14
8 Manoel Gomes da Costa 15
Cc Guilhermina Joaquina do Nascimento 16

Agora, meus antepassados do lado paterno: meu pai João Domingos de Oliveira 2

2 Maria Pereira de Paiva (Cotinha) 17
Cc Domingos Fernandes de Carvalho (Minga Leite ou Sô Minga) 18, natural de Bias Fortes ou Rosário
17 Joaquim Vicente Pereira 19
Cc Delfina Joaquina de Paiva 20
18 Constâncio Leite de Oliveira (Tanço) 21
Cc Maria Verônica da Silva 22
19 José Vicente Pereira 23
Cc Ana Maria de Jesus 24

SEGUEM PARENTES PRÓXIMOS (agora sem numeração):

Meus tios, lado materno:

Ana Maria de Almeida Cc Sebastião Theodoro (de Pirapetinga)
Agostinho Aquino de Almeida Cc Maria Rezende de Almeida
Teresa de Almeida Cc Sebastião de Paiva Leite
Joaquim Carlos de Almeida Cc Maria Celeste Delgado
José Aquino de Almeida Cc Teresa Rezende
Cecília Almeida Cc José Pacheco da Silveira
Antônio Carlos de Almeida Cc Maria das Dores
João Batista de Almeida Cc Maria do Rosário Apel

Meus tios, ramo paterno:

Izolina Delfino de Paiva Cc Pedro Homem da Costa (de Mercês/Rosário)
Antônio Leite Oliveira Cc Oraida Honório (de Divinésia)
Sebastião Leite de Oliveira Cc Geralda Scafutto (de São João da Serra)
Joaquim Batista de Oliveira Cc Olívia Paiva Fernandes (de Paula Lima/Rosário)
Jovelino Leite de Oliveira Cc Geralda de Abreu (de Divino de Ubá/Rosário)
Maria Verônica de Paiva Cc Crispim Ribeiro de Oliveira (de Rosário)
Agostinho Leite de Oliveira Cc Irene Matias (de Divinésia/Rosário)

Os irmãos de meu avô materno Francisco Manoel de Almeida:

José Augusto de Almeida (Nenego) (não se casou)
Joaquim Geraldo de Almeida Cc (?)
Edwiges Adelaide de Almeida Guedes Cc Altivo Guedes de Morais
Guilhermina de Almeida Pinto (Bamina) Cc José Pereira Pinto (José Anjo)
Maria Nazaré de Almeida Cc Francisco Aquino Oliveira
Rita Esmério de Almeida Cc Sebastião Pereira de Paiva (Sebastião Barão)
Teresa de Almeida Cc Olívio Gomes da Costa (Tete)
Ana Umbelina de Almeida Cc João Carlos Rezende
Manoela de Almeida Cc (?)
Olívia???

Os irmãos da minha avó materna, Maria Ignácia de Oliveira:

Francisco Aquino de Oliveira Cc Ignácia Aquino Machado e depois com Maria Nazaré de Almeida
Olímpia Aquino de Oliveira Cc Manoel Jacintho de Oliveira (Manequinho Lulu)
Maria Oliveira Cc José Lulu de Oliveira
Ovídia Aquino de Oliveira Cc Camilo Ribeiro Novais
Maria Aquino de Oliveira (tia Zizinha) Cc Nicolau Barra
Ambrozina Aquino de Oliveira Cc Francisco Lulu de Oliveira
Umbelina Aquino de Oliveira Cc Domingos Gomes da Silva (Minguta)
Marcelino Aquino de Oliveira Cc Maria Luíza

Irmãos da minha avó Maria Pereira de Paiva, lado paterno:
José Pereira de Paiva (fazenda Saudade)
Cc ?
Joaquim (tio Quinca)
Cc (?)

Irmãos do meu avô Domingos Fernandes de Carvalho, lado paterno:
Avelino Leite Fernandes Cc Joaquina Mariana de Paula
Jovelino Leite de Oliveira Cc Maria Novais (irmã do tio Camilo)
Vicente Leite de Oliveira (tio Cecente) Cc (?)
Francisca Leite de Oliveira Cc Joaquim (Quinzinho)
Biá Cc Francisco Borges
João Pereira Fernandes Cc (?)
Carlos Pereira de Paiva (São Luís de Paraitinga) Cc (?)

Meus irmãos (do autor desta genealogia):
†Expedito Leite de Oliveira Cc †Almerinda Ferreira Fernandes
Noeme de Oliveira Cc †Paulo Eugênio da Silva
Aura Almeida Ex-Sisifo Gonçalves Campos
Norma de Oliveira Cc Pedro Ernesto Gonçalves Braga
†Vornei Leite de Oliveira Cc Rute de Freitas

Nota: Meu avô, Francisco Manoel de Almeida, me disse que meu pentavô seria João Gomes da Costa. Negro, escravo que se enriqueceu e se casou com Maria Balbina de Jesus. Foi dono da fazenda Taquaral ou Batuque. E foram genitores de Domingos Gomes da Costa Cc Vitória Maria de Jesus, meus tetravôs paternos e pais de meu trisavô Manoel Gomes da Costa 15.

publicado no Benficanet em 06/09/2011
  
    Comente!
 
Comentários


Paulo Paiva - Belo Horizonte - 05/09/2017
Parabéns pelas ótimas matérias. Sou trineto do Papai Neneca e filho de Sebastião Paiva. Você teria a data ou ano de falecimento do Papai Neneca?

Edmilson Esteves - Nova Iguaçu - 05/02/2015
Temos um ancestral em comum: Joaquim Carlos de Oliveira (Quinca) 5 Cc Maria Umbelina de Aquino (Madrinha Dona) Meus trisavós. Careço de maiores informações.

Asséde Paiva - Volta Redonda -  RJ - 11/11/2011
Tio Téte nos visitou em Chapéu D'Uvas uma vez e uma vez visitei-o. Ele era bom de papo e bem articulado nunca mais nos vimos.

Catharina Gomes de Almeida Paiva - Teixeiras - Juiz de Fora - MG - 11/11/2011
Parabéns. Gostei de ler sobre as informações da sua árvore genealógica porque, também faço parte dela. Sou filha do Téte com a Tereza, irmã do seu avô materno, tio Chiquinho.

Claudio C. de Oliveira - Rio de Janeiro - RJ - 18/10/2011
Bom dia! Ao começar um estudo sobre a origem de minha família esbarrei em alguns nomes citados pelo autor e, por isso, gostaria de entrar em contato com o mesmo.
 topo
© direitos reservados desde 2008 -  benficanet.com - contato@benficanet.com