””””””””””””””””””””””
..................................................................................................................................................................
Recordar é Viver!

por Asséde Paiva
(rosarense), bacharel em Direito e Administrador. Autor de Organização de cooperativas de consumo (premiado no IX Congresso Brasileiro de Cooperativismo, em Brasília); Brumas da história do Brasil. RIHGB nº 417, out./dez. 2002; Possessão, São Paulo: Ícone Editora, 1995; O espírito milenar, Goiânia: Editora Paulo de Tarso, s.d. Trabalhou na CSN 35 anos.

12478 acessos.

..................................................................................................................................................................
UM LUGAR MUITO ESPECIAL - Rosário de Minas

Escrito por Asséde Paiva (rosarense), bacharel em Direito e Administrador. Autor de Organização de cooperativas de consumo (premiado no IX Congresso Brasileiro de Cooperativismo, em Brasília); Brumas da história do Brasil. RIHGB nº 417, out./dez. 2002; Possessão, São Paulo: Ícone Editora, 1995; O espírito milenar, Goiânia: Editora Paulo de Tarso, s.d. Trabalhou na CSN 35 anos.

Quem fica na memória de alguém não morre
(Betinho)

Este trabalho é dedicado aos que amam, vivem, viveram e viverão em Rosário de Minas.

Eta lugar antigo! Significa coroa de rosas e deve ter proteção especial de Maria, nossa mãe do céu. Em anotações no Álbum do Município de Juiz de Fora (Albino Esteves, 1915), lê-se que em 1815 foi feita uma doação para construção de uma igrejinha. Seria, mais tarde, Igreja de Nossa Senhora do Rosário. É de Rosário que vamos falar.

Não sei como explicar e muita gente também não, por que um lugarzinho tão inofensivo, bucólico, distante, posto entre morros (mais ou menos elevados), estacionário, sem progresso, conseguiu subsistir tanto tempo em nossa memória? Estou falando de meu berço, Rosário, antes (ou ainda é) um distrito a noroeste de Juiz de Fora, com estas fronteiras: São Francisco de Paula (ex-Torreões); Santos Dumont (antes João Gomes, depois Palmyra); Paula Lima (ou Chapéu d’Uvas, antes Rocinha de Nossa Senhora da Assunção do Engenho do Mato); Lima Duarte (Nossa Senhora das Dores do Rio do Peixe), Pedro Teixeira e Bias Fortes (ex-Quilombo, ex-União).

O povo de Rosário historicamente é muito ressabiado. Qual a razão? Não sei responder. Eles não gostam de informar a estranhos sobre seus bens e propriedades, de modo que são raras as fontes confiáveis de consulta. Medo de impostos? Talvez. Só um psicólogo poderia dizer sobre este comportamento dos fazendeiros do lugar.

Vista de Rosário; em baixo, o Largo da Matriz. A terceira casa, à direita, debaixo para cima, era do meu avô.

Hoje vamos viajar no tempo, vamos olhar num espelho distante, antes que vento leve nossas recordações para a penumbra da memória. Falaremos de Rosário há sessenta anos atrás... Rosário está a quarenta e oito quilômetros do centro da cidade de Juiz de Fora (pouco mais, pouco menos). Este lugarejo está e estará para sempre em meu coração. Pertinho, muito pertinho, nasci e foi há muitos anos atrás. Ainda gosto daquele local como se minha vida fosse totalmente vivida por lá. Será a magia do nome? Será por que nos lembra da religião da maioria dos brasileiros? Não sei! Ser rosarense é um estado de espírito...

Retornando àqueles tempos, lembro-me de que ainda pequeno, mas já morando em outras plagas, demorávamos um dia de viagem para chegar ao vilarejo. Tomávamos um trem. Puxa, era muita força tomar um trem... Mas, tinha que ser, ou tomávamos ou pegávamos um trem, em Juiz de Fora. Não se falava em ônibus. Ah! Esse trem, um maria fumaça, tinha dois nomes: Penido e MJ. O primeiro nome, porque a linha férrea, por muitos anos, findava num local muito pequeno a que deram o nome Penido, naturalmente em homenagem ao doutor João Penido, um político mineiro; o segundo nome talvez fosse apenas sigla do ramal que mais tarde iria a Lima Duarte. O trem não ia até Rosário, que ficava bem afastado da linha férrea. Descíamos em Valadares, outro lugar pequenino que teve seu nome graças ao governador Benedito Valadares que pertencia a Rosário. Sou ‘rosarense’, e como sou! Se pudesse, tiraria carteira de identidade com o nome Rosário.

Meus avós maternos moravam em Rosário; meus bisavôs paternos eram donos da fazenda dos Arrependidos (com este nome, deu no que deu, quebrou; o banco tomou), ficava em Penido. Meus antepassados eram donos da fazenda de nome São Mateus e com eles vivi tantos anos que minha avó passou a ser chamada de ‘mamãe’, por mim. Meus pais se mudaram para a fazenda ‘velha’ que também era parte da fazenda São Mateus. Isto não está muito claro para mim (existiram duas ou mais fazendas São Mateus ?). Também não sei por que falavam ‘fazenda velha’, nem era tão velha assim? Sei que era de minha bisavó materna a quem chamavam Dona. Do outro lado da estrada vicinal, em frente à fazenda velha, e atrás de uma elevação, ficava a fazenda Cachoeira, do tio Camilo. Ele tinha muitos filhos. Lembro destes: Osvaldo, Josa (José), Irani, Gracindo, Helvécio, Crispim, Marieta e filhas Vitória, Lucília. Ah, Lucília! Por que você me aprontou aquela? Não vou dizer nada, veja se lembra! Poderia ter sido diferente, não é mesmo? Você foi miss rosarense?

Moramos na fazenda São Mateus anos a fio. Íamos a festas no arraial e trago até hoje lembranças das santas missões e do padre Gabriel, um redentorista. Ele cantava: Jesus é meu, eu sou de Jesus, Jesus vai comigo eu vou com Jesus... E nos dava santinhos, enquanto rodávamos, de mãos dadas, em torno dele. Depois, nos entregava um cartãozinho com 100 números que devíamos esmolar e a cada uma, dar um furo até preencher todos os quadradinhos.

Alguns nomes ficaram registrados na minha memória, vou enumerá-los ao acaso: Neneca de Almeida (meu bisavô), Agostinho, Jovelino, Maria, Joaquim (meus tios, lado paterno); Agostinho Almeida, Joaquim, Ana, Cecília, João, José e Thereza (tios do lado materno). Os Lulu, família Chico Nico, família Portes, os Ribeiro Oliveira, os Aquino Ramos, os Guedes, os Almeida Sales, os Almeida Paiva, os Resende Franco, os Militão, os Machado, os Marcelino de Aquino, os Minga Leite, os Esmério Fernandes, os Marques, os Moreira, muitos outros. Se pesquisarmos bem, todos éramos parentes ou aparentados.

Ainda jovem adolescente fui a uma festa em Rosário que me marcou profundamente, pois bebi, em três dias, sete litros de Martini. Tomei porre antológico e nunca mais quis ver este tipo de vermute ou álcool. Eu estava com grande amigo que já partiu desta para melhor. Ainda nesta festa as garotas aprontavam contra os rapazes por frequentarem três ou quatro bailes simultâneos. Elas iam de um lugar para outro; tínhamos que pagar entrada em todos para dançarmos com elas. Aconteceram situações desagradáveis que não vou relatar para não manchar belas recordações.

Rosário me lembra que foi em seu derredor que sofri meu primeiro amor (sofri, sim), porque me trouxe belíssima dor de cotovelo, quinquenária. É, superei. Agora, esquecer, não consigo! Que pena não poder dar o nome daquela menina-flor! Não vou citá-la porque não quero dar o braço a torcer. Não esqueci e não dói mais. Mas doeu cinquenta anos e tanto, sei não. Honestamente, para meu consolo, acho que foi melhor para mim tomar aquele estrondoso ‘fora’. Porque fui à luta, viajei pelo mundo conheci outras pessoas e acho que me dei bem. Certamente, se fosse o contrário, até poderia ser um mero sitiante em algum recanto, perto da terrinha de meus avós. E talvez, muito infeliz. Oh, dúvida cruel...

Continue lendo. Clique!

publicado no Benficanet em 18/06/2011
Comentários:


Asséde de Paiva Oliveira - Volta Redonda - RJ - 19/01/2016
Maria! Sua mãe, minha tinha Cecília, quanta saudade...

Maria Aparecida - Juiz de Fora - 17/01/2016
Asséde, sou filha da Cecília, irmã da tia Didi, somos primos em primeiro grau  estou amando sua matéria, assim fico sabendo mais sobre nossos ancestrais, santo Deus como temos parentes! Nunca imaginei que tivéssemos tantos parentes! Continue escrevendo porque está muito linda a matéria!

Asséde de Paiva Oliveira - Volta Redonda - RJ - 06/01/2016

Tenho especial carinho por tio Antônio. E muitas estórias com ele. Talvez algum dia conversaremos sobre ele. Não dá para contar tudo aqui.

Maria da Consolação Guedes - Juiz de Fora - 22/12/2015
Sou filha de Antonio Carlos de Almeida seu tio falecido em junho de 1999. Meu pai falava do senhor com muito
carinho. Parabéns pelo excelente trabalho, um grande abraço.

Elizabete de Sá Carmo - Rosário de Minas - 12/12/2015
Sou moradora de Rosário de Minas e amo esse lugar! Sou da família Fernandes de Sá.

Assede de Paiva Oliveira - Volta Redonda - 16/10/2015
Cecília Carolina. Além de muito bonita, somos primos, não é?

Asséde de Paiva Oliveira - Volta Redonda - RJ - 12/08/2015
Conheci muito bem seu pai Gildo, bem como seu avô Oswaldo. Conheci também Camilo Novais e toda família. Afinal, morávamos perto, em Rosário de Minas. E depois meus pais João Minga e Didi mudaram para São João de Meriti, bem perto de Oswaldo, Irani, Josa e Crispim. Os locais eram Vila São João e Covanca. Tempos difíceis, mas nossa parentada era unida. Vá a Rosário e visite Lucila sua tia, ela sabe muito.

Roselene de Oliveira Novaes - Centro -  Macaé - 10/08/2015
Meu bisavô, era Camilo Novaes, e tinha um tio com none de Helvécio. Mau avo chama-se Oswaldo Ribeiro de Novaes. Todos de Rosário de Minas. E vc citou Camilo e Helvelcio. Ambas da minha família. Sou filha de Gildo de Novaes q já nasceu no estado do RJ.Espero seu contato para descobrir mais sobre nossa família. Sou filha de Gildo de Novaes, filho de Osvaldo e neto de Camilo. Que é meu bisavô.

Rogério Gomes Freire Rezende - Juiz de Fora - MG - 22/06/2015
Assedé, Meu bisavô se chamava Francisco Rezende Franco dos Reis (Seu Chico), dizem que ele era de Rosário de Minas, depois ele migrou para Mercês. Você conhece essa família \"Rezende Franco dos Reis\"? Tem algum detalhe sobre ela? Ela era casado com Dna Maria Joaquina Machado (Dna Saquita).

Almir José de Oliveira - Barbacena - MG - 15/06/2015
Caro Asséde, Caramonhas era como se denominava uma região entre os rios Pomba e rio Doce. Quando os Primeiros Portugueses ali chegaram esta região era habitada pelos índios Caramonas ou Caramonhas. Nessa região em 1818, Manoel Gomes da Silva e Luis Gomes de Oliveira em 1819, fizeram petição de suas terras ao governo informando confrontarem em um lado com terras pertecentes aos índios. Mas o que chama atenção são os dois nomes que parece serem familiares para nós.

Assede de Paiva Oliveira - Volta Redonda - RJ - 15/06/2015
Almir! Saboreei seus comentários li-os sem parar e estou certo de que somos parentes. Até as pedras se encontram...

Maria Aparecida dos Reis - Santa Cruz - 28/03/2015
Lugar que vivi parte da minha infância, minha adolescência com minha tia Sinhá e depois com meu pai Zé Bedeu e que ainda convivo com meus irmãos, primos tios e amigos.

Adair Franco dos Reis - Belo Horizonte - MG - 27/03/2015
Senhor Assede, Em 1880 meu trisavô, Reginaldo Machado dos Reis, passou uma escritura para Joaquim Carlos de Oliveira, referente à venda de um terreno localizado no lugar denominado Tapera da Barbosa. Terreno, esse, herdado de sua mãe Joaquina de Paula Almeida. Pergunto: Joaquim Carlos de Oliveira seria o bisavô do senhor? Tapera da Barbosa ainda continua sendo o nome da localidade? Onde, exatamente, fica isso? Desde já agradeço.

Asséde Paiva - Volta redonda - RJ - 10/03/2015
Sou dos velhos tempos de Rosário. Velhos tempos mesmo. 1934/1938
Tudo que sei está nos textos que benficanet.com publica. Visite-me em Recordar é Viver! Há muita cosa para se ler e ver.

Jéssica Mendes - Rio de Janeiro - 26/02/2015
Oi Asséde, tudo bem? Bom minha mãe e Geralda Cristina Nascimento filha de Corália Pereira Franco e Pedro Pereira Franco, Mais fui criada por Elena Ribeiro Portes e Braz Pereira Portes, e adoro as histórias que minhas mães me conta do tempo Delsa, Minha mãe Biológica Geralda era e é dá pá virada rs\'... e eu morei lá durante minha infância que foi até os 11 e 12 anos depois disso vim embora pro Rio de Janeiro que onde eu moro até hoje... mas sempre que posso vou lá em Rosário, amo aquele lugar apesar de muitas coisas e como disse que minha mãe era e é dá pá virada, como filha não fica atrás :D.. e quero dizer que amei o texto, amo Rosário de Minas sou com muito orgulho Rosarense!! Mas vim pedir um favor a todos que puderem me ajudar... sou filha de Geralda Cristina Nascimento com Geraldo Mendes Pereira que na época era motorista de ônibus em Rosário, não o conheço, gostaria muito de conhecê-lo e queria muitoooooo mesmo a ajuda de vocês. Agradeço desde de já qualquer notícias, podem me responder por aqui estarei sempre visualizando este artigo maravilho bjs... OBRIGADA

Sebastião Machado - Bairro da Graça - BH - MG - 03/02/2015
Caro Asséde agradeço-lhe pela sua atenção e resposta. Já tinha uma fascinação muito grande por Rosário e ela aumentou após a leitura deste seu artigo. Li e reli várias vezes porque parece que estou escutando meu pai Sebastião Machado (já falecido) falando sobre este lugar mágico. Quem me dera se um dia pudéssemos bater um papo. Quem sabe? Um forte abraço!

Líria Adriane de Oliveira - Juiz de Fora - MG - 27/01/2015
Olá, Asséde. Mais uma vez li suas matérias encantadoras, que tanto amo. Já anotei dados de minha família paterna (Carlos Lulu de Oliveira e Maria Delfina de Oliveira - meus avós) para confirmar. Obrigada! Busco mais informações sobre meus bisavós paternos são Francisco Antonio de Oliveira e Maria Umbelina de Jesus. Esse foi o segundo casamento dele, após o falecimento de sua primeira esposa, cujo nome não sei informar. Se alguém tiver essa informação, eu agradeço. Também não sei quem são os filhos desse primeiro casamento... Meus bisavós por parte da vovó Mariazinha são: Antonio José de Oliveira Sobrinho (Coronel Antonio Lulu) e Carolina de Oliveira; são de Bias Fortes). Minha mãe é de Valadares (Joaquim Leocádio dos Reis e Maria José dos Reis - meus avós maternos). Da parte do meu avó meus bisavós são:José Leocádio Guedes (Papai Zeca) e Maria Pereira dos Reis (Mamãezinha). Meu avô é irmão do tio Belmiro Leocádio dos Reis, que foi casado com a tia Marieta, mãe da Lucila. Ele morreu muito novo, não o conheci. Da parte da minha avó, meus bisavós são: José Augusto de Alemida (Vovô Juca/ Juca Umbelina) e Tereza Pereira de Almeida. Ela, pelo que sei, é da região de Torreões. Meu bisavô não sei nada sobre ele, apenas que morava em Juiz de Fora quando faleceu, em 1957. Tem um irmão do meu avô - João Leocádio dos Reis, que morava em Torreões (já é falecido). Procuro descendentes dele e de José Leocádio dos Reis (Juquinha).Dona Tereza Pereira de Almeida é filha de Francisco José Lopes (Papai Chico/ Chico Lopes) e de Maria Luíza Lopes ou Maria Luíza de Almeida (não sei bem). São filhos deles: Tereza, Izabel, Cecília, Julieta, Maria, João Batista Lopes (pais das seis Marias, de Valadares), José Lopes, Geraldo Lopes, Madalena e Verônica. Sobre o José Leocádio Guedes (Papai Zeca, meu bisavô) parece-me (não tenho certeza) que ele tinha irmãos: Camilo Leocádio Guedes e Espiridião Leocádio Guedes. Agradeço a quem me passar qualquer informações sobre eles ou tiver fotos para eu fazer uma cópia. É muito importante para mim descobrir quem são meus ancestrais - trisavós, tataravós, tios-avós, primos... Meu objetivo é descobrir onde surgiu a minha família - paterna e materna, e quantas gerações existiram antes de mim. Obrigada a você e a todos pela atenção. Um grande abraço rosarense.


Yurika Roberta de Paiva Magalhães - Centro - Curvelo - MG - 21/01/2015
Sou da família Paiva e sei que a origem é da cidade do Rosário, meu avô era FRANCISCO PEREIRA DE PAIVA filho de ROMUALDO PEREIRA MACHADO E MARIA JOAQUNA DE PAIVA, A HISTORIA QUE CONHECEMOS É DE QUE MEU AVÔ FRANCISCO SAIU DE CASA AOS 16 ANOS E NUNCA MAIS RETORNOU, FICANDO ASSM MINHA MÃE SEM NENHUM CONTATO COM A FAMILIA PATERNA. VOCÊ TEM ALGUMA INFORMAÇAO SOBRE ESSA FAMILIA E SOBRE MEU AVÔ FRANCISCO? POR FAVOR SE TIVER FAVOR ME ENVIAR DADOS PELO MEU EMAIL. DESDE JÁ AGRADEÇO A ATENÇÃO. TEMOS MUITA VONTADE DE COLOCAR MINHA MÃE EM CONTATO COM ALGÉM DA FAMILIA, UMA VEZ QUE ELA É FILHA ÚNICA.

Asséde Paiva - Volta redonda - RJ - 08/01/2015
Ricardo,
Tudo que sei está no benficanet. Talvez sejamos parentes, sim.

Sebastião,
Conheci Jorgina e filho José. Minha mãe Didi (Maria no original), muitos anos após dizia que José, após vida sofrida fazia milagres., isto é, pedíamos e ele atendia. Fé é fé, não se discute. Espero que José esteja no céu ao lado de nossa mãe, Nossa Senhora.


Sebastião Machado de Almeida Filho - Bairro da Graça - Belo Horizonte - MG - 06/01/2015
Caro Asséde, sou neto da Jorgina (tinha um filho chamado José, com paralisia cerebral). A sua descrição na segunda parte desta matéria, me deixou muito emocionado. Há tempos venho tentando desvendar as raizes da família do meu pai, Sebastião Machado de Almeida. Ele nasceu neste pedacinho do mundo. Cresci escutando histórias e histórias a respeito deste lugar. Ficava quietinho escutando meu pai comentar com minha mãe sobre a sua infância e adolescência. A grafia correta do nome da minha avó é Georgina Sobreira de Almeida. Meu pai saiu rapazinho de lá. Aos 18 anos foi para Juiz de Fora. Serviu o Exército e acabou vindo para Belo Horizonte e se alistou (sentou praça) na Polícia Militar. Teve no total, oito filhos, frutos de dois casamentos. A família cresceu aqui em BH. Meu irmão, Klinger Sobreira de Almeida é coronel da Polícia Militar e também escritor. Vou levar seu artigo para que a minha mãe possa lê-lo. Com certeza ela se lembrará de muitos nomes e casos. Vamos manter contato. Um forte abraço.


Ricardo de oliveira - Juiz de Fora - 24/12/20144
Olá Assede. Meu nome é Ricardo. Tenho lido os comentários e verifiquei algum parentesco. Meus pais são Hélio e Cremilda. Meu pai é de Torreões em Juiz de Fora, filho de Manoel Jacinto de Oliveira filho e vovó Maria. Meus tios paternos são Paulo, Osvaldo, Geraldo. Aparecida, Olanir, Abel. Os irmãos do meu avô (vovô Maneca) são tio Carlos, Jovina e outros. Creio que o vovô Manequinha (Manoel Jacinto de Oliveira Sobrinho) foi o dono da fazenda da Conceição em Monte Verde em Juiz de Fora. Você te m alguma informação sobre a família??? Abraços.

Asséde Paiva - Volta redonda - RJ - 28/10/2014
Andei procurando mais sobre os LULU e pude saber o seguinte (mas sem provas): Prudente Lulu cc Maria Elias de Oliveira (vindo de Torreões ou Rosário) mudou-se, em 1913, para a fazenda da Serra, entre Ribeirão de Santo Antônio e Barreira do Triunfo. A família cresceu e foram seus filhos: Totó cc Dorica; Francisco cc Maria; Nenem cc ?; Zequinha* cc Donana; Rita ou Tota cc Arlindo (Lulu). Totó e Dorica tiveram os filhos Geraldo, Miguel, Vicente, Sebastião e Pedro. Francisco e Maria tiveram estes filhos: Jorge, Zico, Joaquim, Sebastião e Laércio. *Zequinha cc Donana teve estes filhos: José, Joaquim, Oswaldo. Antônio e Pedro. De todos os citados só conheci Antônio. Conheci também Iraci filha de criação de Arlindo Lulu e Sá Tota.


Luiza Oliveira - Porto União - Santa Catarina - 02/09/2014
Sou filha de Luiz Marcelino de Oliveira, morei em Valadares ate 11anos e frequentava Rosário de Minas, sou proprietária do sitio da Canoa, próximo a Rosário, fiquei emocionada com a leitura... e recordei de vários nomes citados. Abraços. Parabéns pela iniciativa.

Aparecida Novais Pinheiro - Santa Cruz - Juiz de Fora - MG - 13/06/2014
Adoro ler sobre Rosário. Sou filha de Gracindo Ribeiro de Novais, já falecido.

Miriam - Illinois - 02/05/2014
Caro Asséde, muitíssimo obrigada por este artigo. Ele evocou os mesmos sentimentos que tenho quando leio às referências feitas à Rosário feitas pelo meu tio-avô Belmiro Braga por volta de 1930. Procuro saber se ainda tenho algum parente em Rosário ou nas regiões próximas. E também, alguma informação adicional sobre estas famílias. Os comentários feito neste artigo por Ivan Luiz Salles Corrêa de Bicas me foram de grande valia para expandir o que eu tinha sobre os meus antepassados. Sou descendente de Francisco Lourenço de Barros filho de Prudêncio Lourenço de Barros e Francisca de Paula Oliveira (filha n.8 de João Leite de Oliveira e Rosa Jacintta do Sacramento) nascida em Rosário por volta de 1800. O Francisco casou com Rita Maria de Jesus (filha de Antônio José Corrêa e Joaquina Maria Esméria). Eles tiveram 2 filhas, Francisca de Paula Barros (minha bisavó- nascida em Rosário em 1842) e Cândida de Paula Almeida. A Rita faleceu por volta de 1845 e o Francisco com 29 anos, casou novamente em Rosário em 11 de abril de 1849 com Ana Francisca de Oliveira (filha de Francisco Ribeiro de Almeida e Luciana Luiza de Oliveira e irmã de João Ribeiro de Almeida). A Ana quando casou com o Francisco já era viúva de Joaquim Martins Fernandes. A minha Francisca casou-se com o português, Jose Ferreira Braga e se instalou em Vargem Grande, Juiz de Fora. Mais uma vez obrigada.

Asséde Paiva - Volta redonda - RJ - 08/04/2014

Maria José! Eu já dormi em sua casa em Penido e gostava muito do ZEca. Meu Deus! quantos anos isso se deu?

Asséde Paiva - Volta redonda - RJ - 08/04/2014

Maria José! Somos parentes, sim. Vez por outra encontro Cecília, filha do tio Agostinho. Fale com ela.

Asséde Paiva - Volta redonda - RJ - 08/04/2014

Domingos Gomes era meu tio-avô. Visitei-o em Paracambi-Rio. Ele consegui a façanha de 'quebrar' duas vezes e se recuperar. Depois mudou-se para Conceição de Macabu, onde seu filhos, meus primos se enriqueceram mais ainda.

Maria Jose de Almeida - Benfica/Rio - 07/04/2014
Enviei notificação sobre a Euterpe Santa Cecília. Espero que tenha chegado ao destino. Continue com os comentários sobre Rosário e regiões próximas (Penido, Humaitá, Valadares, Igrejinha etc).

Maria Jose de Almeida - Benfica/Rio - 07/04/2014
Fiz um comentário e aos 5 anos mudamos de Penido-Benfica. A euterpe Santa Cecília, da fazenda do Carmo (Penido, onde nasci), era formada por familiares como tioTião, Tio De, Tio Nego, que casou com tia Quitita, tio Agostinho, casado com tia Maria (irmã de meu pai, Jose Rezende de Almeida, o Zeca), as primas Catarina e Aparecida do tio Tete, Tia Zinha (Tereza), e outros familiares saudosos. Rosário de Minas era o local onde éramos registrados (certidão de nascimento). Sou, então, de Penido e Rosarense TB. E muito bom rever tudo isso. Mais noticias será ótimo.

Maria Jose de Almeida - Penido - 29/03/2014
Nasci em Penido, registrada em Rosário de Minas; adorei as historias. Tio Agostinho era casado com minha tia e madrinha Maria, irmã de meu pai, Jose Rezende de Almeida. Era bem pequena, mas me lembro de ir a festa de Rosário (semana santa), em carro de boi (muita chuva), e da Euterpe Santa Cecília. Minhas tias: Quitita, Quinha, Zinha; as primas Catarina, Domingas, Cecília: cantando!!!! Que recordação tão longo qua! Valeu!!!! Tio De, Tio Tião, Tio Nego e tio Agostinho na Euterpe!!! Saudades!!

Almir José de Oliveira - Barbacena MG - 19/03/2014
Asséde! Estava de folga do trabalho e logo pela manhã, tentei no google earth visualizar Rosário de Minas e Palmital. Não fui bem sucedido mas, com muita surpresa me deparei com suas formidáveis matérias. Rosário está orgulhoso de ter um filho tão ilustre e com tanta dedicação a sua terra natal. Com pequenos intervalos para triturar alguma coisa comestível, desliguei às 23:00hs, afinal o dia seguinte era de trabalho. Por vezes arrepiei, emocionei, viajei no tempo... trilhos de cavalo e trilhas de carros de bois na época. Li suas matérias parte I, parte II e O Semeador de Jabuticabas pelo menos, três vezes cada.Os comentários li mais vezes; de cima para baixo,de baixo até ao meio, do meio para baixo e de baixo para cima e às vezes um ou outro isolado.Não parece! Eu revivi mesmo meus tempos de Rosário. Ah! também li e reli a árvore genealógica de sua família.Das dezenas de nomes citados em seus relatos, me reencontrei com muitos e me lembrei de outros tantos, passei à cavalo com meu saudoso pai na estrada em frente a fazenda São Matheus, tomei café com leite e biscoito na cozinha do delegado e devidamente abastecidos transpomos um ou dois espigões e mais uma grota lá estava a fazenda do Joaquim Lulu (Zaque) e mais uns vinte minutos estamos no Palmital onde, recordo existia alguns esteios de braúna fincados, isto por volta de 1965, que meu pai dizia ser da antiga fazenda do Palmital que ali existira, de cuja meu avô teria adquirido parte das terras ali mais próximas de um tal tio Domingos Gomes ou Zé Domingos Gomes (Tio de meu Avô.Lembro dele comentar que a família havia se mudado para o Rio de Janeiro ou São Paulo (tenho dúvidas. Também fui candieiro de bois para levar Colchões de palha, latas de Biscoitos, carne na gordura e outra traquinagens (tudo preparado com antecedência) para as festas, missões ou semana santa. As latas voltavam vazias mas uma vez após a festa a carga voltou acrescida de uma penca de galinhas que eu arrematara no leilão quando me deixaram por lá sozinho. Noutra ocasião o sineiro que repicava o sino da matriz na alvorada errou a hora e meu pai me acordou e mandou que corresse a Igreja para tocar o sino. Os foguetes da Maria fogueteira já pipocavam e e com muita ingenuidade ao invés de repicar o sino fiz soar o toque fúnebre usado para comunicar o falecimento de alguém. Asséde, você proporcionou a mel e a muitos Rosarenses lembranças formidáveis. Sou neto de Carlos Lulu, nasci no Palmital nas terras da referida fazenda de sua matéria. Li na sua árvore genealógica que sua tia avó Ambrozina Aquino se Oliveira foi casada com Francisco Lulu de Oliveira. Seria este o pai de Carlos Lulu, José Lulu, Prudente Lulu e Chichico Lulu? Abraços.

Geraldo Magela Esteves de Oliveira - Santa Cecília - Juiz de Fora - 18/03/2014
Boas a todos que me antecederam. Parabéns Asséde pelo texto, me vi de volta a minha infância, detalhes somos todos parentes só depende do grau, sou neto de Alcides Esteves dos Reis casado com Maria Gomes dos Reis (avós maternos e Joaquim Marcelino de Oliveira e Victória de Oliveira (avós paternos)a Lucila foi miss Rosário sim e o irmão dela João Batista era o goleiro do time de futebol, estudei no Grupo Escolar de Rosário, fui criado na Fazenda São Mateus, em frente a entrada da Fazenda tinha outra estrada vicinal que levava a Fazenda da Cachoeira, que ficou com a Dona Marieta (mãe da Lucila) do Tio Camilo, Morei também no Sitio do Palmital, vizinho a fazenda do Tio Zaque...sou primo do Paulo Cezar (irmão do Marcos que cantava Tomo um Banho de Lua de Celi Campeiro), Edmilson Esteves, Joalser, sobrinho da Tia Cecília, me lembro muito do Sr. José Augusto pai da Luzia, em uma brincadeira entre ele e o meu pai José Marcelino de Oliveira Sobrinho, emprestei a ele uma nota de 1 reis a juro,Sr. José Fernandes muito amigo de minha mãe Berenice Esteves de Oliveira.. bons tempos onde o melhor amigo de uma criança era o Sr. Pedro Portes que morava na 1ª casa ao chegar em Rosário, sim o Sr. Euvecio era com certeza o Delegado de Rosário, e morava pouco depois da Fazenda da Cachoeira, 2 de seus filhos ainda estão em Rosário, boas recordações me foram proporcionadas ao ler seus textos, fico lhe e a todos que comentaram muito grato.


Asséde Paiva - Volta redonda - RJ - 15/03/2014
Nhanhá, minha vó, era uma santa! Eu a chamava mamãe, porque vivíamos na casa dela. Há poucos dias passei perto da casa indo a Rosário. Tudo acaba, resta a saudade.

Edmilson Esteves de Oliveira - Nova Iguaçu - 12/03/2014
Suscitou em mim as mais doces recordações. Passei muitas férias na fazenda do tio Camilo e Marieta. Excelente texto.
Asséde, por favor, me passe o email de Paulo Cezar de Oliveira - Maceió - AL - Meu primo. Sou neto de Joaquim Marcelino de Oliveira e Bisneto de Joaquim Marcelino Aquino de Oliveira. Grato.

Cecília Carolina de Oliveira - Benfica - Juiz de Fora - 08/03/2014
Olá Assede. Sou filha de Rosário de Minas, nascida e criada naquela maravilhosa terra. Que por sinal muito me orgulho em sempre dizer que sou de lá. Adoro exibir minha carteira de identidade que vem escrito:"Naturalidade: Rosário de Minas-MG". Sou filha de Joaquim Marcelino de Oliveira e Victória de Oliveira (conhecida como Turica). Gostei muito da matéria, viajei no tempo e recordei os meus tempos de infância e adolescência. Ia muito aos bailes,aliás em todos.Li aqui os comentários de muitos conterrâneos e também algumas verdades, como a feita por Paulo Cézar em relação a morte de meu irmão Nelson Oliveira. A Dona Nhanhá citada na sua matéria era irmã do meu avô Marcelino Aquino. Recordo da Fazenda São Mateus que se localizava vizinha à Fazenda do Tio Camilo. Recordo com saudosismo também, das festas e de tudo que citou. Fico no aguardo da próxima postagem. Abraços.

Asséde Paiva - Volta redonda - RJ - 08/03/2014
Leia no benficanet.com o texto "Os Almeida Paiva" e "Os Leite Oliveira".

Asséde Paiva - Volta redonda - RJ - 07/03/2014
Meu pai foi João Minga; meu tio Agostinho Almeida, o da banda; minha mãe, Maria Almeida, filha de Chiquinho de Almeida o delegado.


Paulo Cezar de Oliveira - Maceió - AL - 17/02/2014
OI, TURMA DE ROSÁRIO DE MINAS! SOU PAULO CEZAR, FILHO ZAQUE E ZIZINHA, NASCI NA FAZENDA BOA VISTA, QUE ERA DO AVÔ MATERNO MARCELINO AQUINO DE OLIVEIRA, E DEPOIS, DO MEU PAI JOAQUIM LULÚ DE OLIVEIRA E MARIA DE OLIVEIRA, MEU AVÔ PATERNO ERA O JOSÉ ANTÔNIO DE OLIVEIRA, QUE MORAVA PERTO DE HUMAITÁ. IA MUITO LÁ COM MEU PAI, A CAVALO. MEUS TIOS: LUIZ MARCELINO DE OLIVEIRA, ANTÔNIO MARCELINO DE OLIVEIRA ( TONICO), OSVALDO MARCELINO DE OLIVEIRA, JOSÉ MARCELINO DE OLIVEIRA, ISRAEL DE OLIVEIRA, JOSÉ MARIA DE OLIVEIRA...,NÓS ÍAMOS MUITO EM ROSÁRIO, NAS FESTAS E MISSÕES E FICÁVAMOS UMA SEMANA NA CASA DO TIO CARLOS LULÚ, DEPOIS DA CASA DO JOSÉ AUGUSTO, ERA A SEGUNDA CASA. IA MUITO NA CONFERÊNCIA DE SÃO VICENTE DE PAULA, AOS DOMINGOS, MEU PAI ME LEVAVA NA GARUPA, E LÁ REUNIA EU, MEU PAI, TIO CARLOS, ANTÔNIO CARLOS, CARLITO ( QUE MATOU O NÉLSON, O PAULO MARCELINO,OUTROS. EU ESTUDAVA NA ESCOLA RURAL DO PALMITAL, COM MEUS IRMÃOS JOÃO MARCOS E A REGINA SUELI, ÍAMOS COM UM EMBORNAL COM TODO MATERIAL ESCOLAR, E, O SONEGUINHA, PEDIA QUE A GENTE PEGASSE FRANCO PARA ELE, NA HORA DO RECREIO. NAS FESTAS EM ROSÁRIO, TINHA A MARIA FOGUETEIRA, A BANDA DO AGOSTINHO DE ALMEIDA, AS PROCISSÕES, OS LEILÕES. ERA UMA FESTA SUPER ANIMADA. HOJE, A GENTE SENTE MUITA SAUDADE DAQUELES TEMPOS. NA FAZENDA, JOGAVA BOLA EM UM CAMPINHO QUE TINHA NA BERADA DA ESTRADA. PASSAVA OS CARROS, NA ÉPOCA, OS JEEPS, TONICO CANDIDO, JOÃO DELFINO, E OUTROS, E EU E MEUS IRMÃOS CORRÍAMOS PARA ABRIR A PORTEIRA.MUITA SAUDADE! QUE TODOS OS ROSARENSE, ENTRE EM CONTATO COMIGO,PELO MEU E-MAIL. ABRAÇOS A TODOS!

Paulo Cezar de Oliveira - Maceió - AL - 30/01/2014
SOU FILHO DE ROSÁRIO DE MINAS, FILHO DO ZAQUE, JOAQUIM LULÚ DE OLIVEIRA E MARIA DE OLIVEIRA( ZIZINHA).ERA MENINO DE 08 ANOS E IA VER A BANDA TOCAR, ERA O DÉ DA BANDA, AGOSTINHO DE ALMEIDA E OUTROS COMPONENTES, A MARIA FOGUETEIRA, QUE PREPARAVA A RODA DE FOGO, QUANDO ACABAVA A FESTA, NO ÚLTIMO DIA.A PROCISSÃO EM DUAS FILAS INDIANA, COM PE. GAIO, ANDOR DOS SANTOS, FOGOS, BANDA QUE TOCAVA: SEJA ADORADO E SEJA AMADO, NESSA TERRA DE SANTA CRUZ; GLÓRIA JESUS, NA HÓSTIA SANTA,..... ACABAVA A PROCISSÃO E TODOS SE REUNIAM NA PRAÇA, EM FRENTE A IGREJA, PAR O SERMÃO E, DEPOIS, ERA O LELÃO O CORETO, JÁ À NOITE. ERA CHEIO DE GENTE. O NÉLSON MARCELINO, MEU PRIMO, ERA ENDIABRADO. FAZIA MUITA FARRA. MORREU EM 04.07.73, POIS O CARLITO O MATOU COM TIROS DE ESPINGARDA DE CHUMBO. ASSED PAIVA, QUEM ERA O SEU PAI? ABRAÇOS!

Asséde Paiva - Volta redonda - RJ - 04/10/2013
Lulu Mantenha contato, talvez sejamos parentes

Líria Adriane de Oliveira - Juiz de Fora - MG - 12/07/2013
Asséde, você é de Rosário? De que família? Eu gostaria de fazer mais contato com você, para saber mais sobre os registros que você possui sobre Rosário. Esse lugarzinho especial, como você chama,faz parte da minha história e da minha vida,porque amo Rosário de coração. Grande abraço.

Asséde, quero te pedir mais detalhes que você tenha sobre a minha família paterna - Lulu de Oliveira. Meus avôs são Carlos Lulu de Oliveira e Maria Delfina de Oliveira.Tenho
interesse em fotos também, se você tiver. Te agradeço muito, pois tenho grande interesse em construir minha árvore genealógica, para descobrir quem são meus ancestrais. Parabéns pelo
belíssimo trabalho que você vem realizando.

Asséde, sou rosarense também, apaixonada por aquele "pedacinho de céu aqui na terra", que é como chamo Rosário. Sou neta de Carlos Lulu de Oliveira e Maria Delfina de Oliveira. Fiquei muito feliz por encontrar sua matéria e, nela, esse carinho por Rosário, que eu também sinto. Saí de lá muito pequena, mas minhas raízes ficaram. Nunca esqueci nem deixei de amar a minha terra, que vou visitar sempre que é possível. Amo Rosário e a minha família - Lulu de Oliveira, a qual muito me orgulho. Um grande abraço e parabéns pela matéria, que  realmente é fantástica!

Neuza Maria Fernandes Ferreira - Centro - Santos Dumont - 16/06/2013
Rosário minha terra e dos meus antepassados. Onde passei e deixou-me saudades!

Luzia Augusta do Nascimento - Juiz de fora - MG - 16/06/2013
Parabéns ao escritor, sou filha de Rosário, José Augusto nascimento, foi juiz de paz e secretario do livro de Tombos da igreja matriz NS Do Rosário, o meu irmão Waldo foi escrivão de paz oficial do registro civil do referido local, casado na família Novais, dentre ele mais três irmãos foram casado nessa família na qual tenho vários sobrinhos Novais. Minha Mãe Maria Augusta Almeida Franco católica praticante cantora mor da igreja matriz ,dava hospedagem em dias de festa a banda de musica do Maestro Agostinho de Almeida e aos Padres que iam celebrar a festa. Fui prof do colégio estadual,antes de terminar o curso normal após um anos voltei para juiz de fora terminar o curso e fazer outros. Moro em Juiz Fora mais continuo indo a Rosário para visitar a família que lá reside. Fico orgulhosa de ter um conterrâneo como você e aguardo sua visita lá, para você relembrar e ver o desenvolvimento da vila, sendo hoje um bairro de Juiz de Fora, ao passo que antes pertencia a Bias Fortes.

Matilde Maria Oliveira Guerra - Centro - Mar de Espanha - 15/06/2013
Sou neta de Carlos Lulú de Oliveira, filha de Geraldo Lulú de Oliveira e do lado materno neta de Marieta Aquino de Novais; Filha de Vitória Leocádio. Mardespanhense de nascimento, mas ROSARENSE DE CORAÇÃO.Costumo ir na casa da tia Lucíla pelo, menos uma vez ao mês. Rosário te algo diferente é um lugar muito especial. Fico conversando com a tia e ela vai contando essas histórias, os acontecimentos e viajamos pelo tempo. Curti muito da minha infância em Rosário, pois mesmo morando em Mar de Espanha; íamos muito passar férias
ou ficar dias na casa dos avós. É uma delícia ver estas memórias preservadas e saber que apesar da distancia da vida a tecnologia nos torna possível a troca de informações. Obrigada... Estou aguardado ansiosa a próxima postagem.


Asséde Paiva
- Volta redonda - RJ - 08/06/2013
Kely! Você comentou muito bem. Eu desvendei minha alma, mas há que se ler nas entrelinhas...

José Vitor - Rosário de Minas - 23/05/2013
http://www.avaaz.org/po/petition/Asfaltamento_do_bairro_Rosario_de_MinasJFMG/?ccKtneb

Joalser -  U.S.A / Benfica - 15/05/2013
Sou neto de Joaquim Marcelino de Oliveira, fazenda da olaria hoje mora lá nosso tio Paulo Marcelino. Abraços a todos os Rosarenses espalhados mundo a fora.

Kely Novais Gurken - Santa Cruz - Juiz de Fora - 14/05/2013
Olá Srº Asséde, fiquei muito feliz com toda sua história e saudosismo por Rosário, realmente o Srº colocou nessas linhas tudo o que todos que amam essa terrinha gostariam de dizer e que as vezes faltam em palavras. Sou bisneta do "tio Camilo" neta do saudoso e querido Gracindo homem de/do bem... e lá aprendi muito do que sou hoje, cada vez que vou até lá me sinto a mesma criança que corria, pulava e brincava muito...E o mais incrível? O cheiro do lugar é o mesmo! Rosário tem um cheiro próprio, único, de família, vó, crianças, lembranças, afetos... o mais legal que todos já passaram por uma pequena bebedeira um desamor, amor, festas! Meus filhos hoje fazem isso e tento ensinar para eles o quanto esse lugar cheio de histórias e "estórias" fantásticas tem para oferecer. Orgulho dessa terra, de pessoas do bem de parentes é verdade, acho que todos temos um parentesco no final das contas... Meu falecido tio Renato Nascimento fez um poema para Rosário, tenho ele inteiro em alguma agenda, mas lembro de alguns versos é mais ou menos assim: Quantas saudades eu tenho, Do meu Rosário querido, desse jardim tão florido onde feliz eu cresci Rosário dos muitos amores, das serenatas de pratas... Um grande abraço Srº Asséde e meu muito obrigada por essas palavras tão lindas sobre nosso cantinho!
Estou perdida de tanta emoção nestes relatos minuciosos e tão feliz! Muito orgulhosa de pisar na terra que o Srº e seus antepassados assim como os meus pisaram...

José Vitor - Rosário de Minas - 13/05/2013
Fantástica a matéria! Segue o link da comunidade de Rosário no facebook! https://www.facebook.com/groups/352832624780740/ 

Joalser - U.S.A - 06/05/2013
Gente do céu, temos Rosarense até nos E.U.A!

Ivan Luiz Salles Corrêa - Bicas - MG - 17/04/2013
Olá Asséde. Complementando: D. Domingas é viva e viúva de Paulo Sales. D. Catarina , já falecida, foi casada com João Sales. José Sales, já falecido irmão de ambos, foi meu padrinho. Voltando ao meu trisavô, sua quinta filha foi Rita, casada com José Guedes de Morais, com que teve oito filhos: Leocádio, Joaquim Euflasino, Camillo, Antônio, José, Maria, Vicente e Messias. Abraço.


Ivan l. S Corrêa - Bicas - MG - 16/04/2013
Conheço D. Domingas, viúva de um dos irmãos Sales. Antonio José Corrêa ficou viúvo de Joaquina Maria Esméria em 1858 casou-se pela segunda vez em 1863. Morreu em agosto de 1884 (retirado do inventário). Quando morreu, era proprietário da Fazenda Boa Vista. Sua sétima filha, Felicidade, foi casada com José Braz de Araujo. Na certidão de nascimento de meu avô Osorio Corrêa de Almeida, consta que ele nasceu na Fazenda Palmital em 24 de setembro de 1892. Meu bisavô Sebastião José Corrêa casou-se com Luiza Candida de Almeida, filha de Antonio Jose de Almeida e Silva.Posteriormente mudaram-se para região de Bicas e Pequerí, onde compraram a Fazenda São José. Tive uma tia casada na família Guedes. Meu bisavós maternos foram João Maximiano de Oliveira e Constancia Maria de Oliveira. Como vc pode observar também sou Almeida. Abraço.

Asséde - Volta redonda - RJ - 15/04/2013
Domingos Gomes da Costa, meu tetravô, foi dono de uma fazenda Palmital. Talvez não seja a mesma citada por Ivan. Não tenho lembrança da família Corrêa, em Rosário. Minhas primas Catarina e Domingas (filhas de Agostinho Aquino de Almeida) foram casadas na família Sales e moravam em Bicas. Nesta cidade, mora um médico, filho de grande amigo meu, já falecido João Carlos Lima de Souza. Fomos colegas na CSN, em Volta Redonda.

Ivan Luiz Salles Corrêa - Bicas - MG - 14/04/2013
Prezado Asséde, meus antepassados são todos de Rosário. Meu trisavô foi Antônio José Corrêa, nascido por volta de 1797, foi casado com D Joaquina Maria Esméria, com quem teve oito filhos, entre eles D. Rita, avó de Belmiro Braga. Viúvo de D. Joaquina, Antônio Corrêa casou-se aos 66 anos com D. Custódia, com quem teve outros cinco folhos, entre eles, Sebastião José Corrêa, meu bisavô e que foi dono da fazenda Palmital, cuja foto aparece no livro citado em seu artigo. O Inventário do Sr Antônio encontra-se no acervo do Arquivo Histórico da UFJF.

Zélia Pires Honório - Rio Preto - MG - 04/04/2013
Prudente José Pires marido de Francisca de Paula de Jesus eram meus bisavós e moravam em Rosário de Minas. Prudente era filho de Manoel José Pires e Maria Luiza do Carmo. Meus bisavós tiveram 9 filhos todos nascidos em Rosário de Minas. O nome de uma das filhas era minha avó materna Maria Pires Machado que se casou com João Afonso. Os outros irmãos de minha avó eram Anna Soares, Conceição Pires Machado, Dorvina Pires Machado, Joaquim Norberto Pires, Manoel Pires Machado, Juscelina Pires Machado, Adelina, Sebastião José Pires. Gostaria de saber mais detalhe sobre a família Pires. Se souber algo, por favor me dê notícias. Adorei encontrar notícias de Rosário de minas. Abraços, Zélia.

Asséde - Volta redonda - RJ - 19/03/2013
Eis alguns nomes para Eliakim: "Asséde: Segue um pouco do que lhe falei sobre os Lulu. Joaquim Lulu de Oliveira, conhecido como Zaque, era filho de José Lulu e Oliveira, irmão do Sr Carlos Lulu de Oliveira e outros. Ana filha do senhor Carlos Lulu, tem mais detalhes sobre a família. Eleakim que lhe escreveu, sua mãe chama-se Maria das Graças e mora em Benfica com a Ana. Ana tem mais irmãos vivos que são: Vitória (casada com Salvador Sales, Dr João Carlos casado com Norma, Mario e outros. Sr Carlos Lulu e Zaque eram grandes amigos de meu pai Agostinho. Caso queira mais detalhes posso pedir Ana para fazer um relato ok? Abraços, Cecília".

Edimilson Alves do Nascimento - Carapicuiba - Jd. Acácias - SP - RJ - 17/03/2013
Sr. Asséde Paiva eu estava fazendo outra pesquisa sobre o Rosário de Minas, quando me deparei com este site. Nasci em 04/12/1962 Santos Dumont - MG e meu pai se mudou para SP quando eu tinha 03 anos de idade, mas todos os anos ele ia visitar os familiares em sua terra natal. Ele ia com seus dois irmãos e não levava a família devido condições financeiras, mas fazia comentários sobre o lugar e também planos de nos levar um dia no Rosário de Minas, porém não teve esta oportunidade porque veio à falecer. Mas em 15 de janeiro de 2002 juntamente com minha Mãe, hoje com 74 anos fui procurar pelas raízes do meu pai em Rosário de Minas. Foi difícil mas levantando informações encontramos quatro primos do meu Pai. A Sra. Hilda e os Srs Expedito, Roque e Paulinho. Os meus avós paternos são Avó Avelina Maria de Jesus e Avô João Alves do Nascimento. Filhos Dario Alves do Nascimento, Juraci, Militão, Maria Aparecida e Mário todos já na Gloria de Deus. Nesta Árvore Genealógica não encontrei parentesco direto com meu Avô João Alves do Nascimento, mas com minha Avó Avelina Maria de Jesus tem os nomes das Sras Francisca Maria de Jesus, Felicidade Maria de Jesus, Rita Maria de Jesus e Nair Maria de Jesus . Confesso que chorei e vou ver qual o grau direto com minha Avó, ou seja Irmãs, Mãe, Avó. Sobre o meu Avô também vou continuar procurando mais informações. Sr. Asséde Paiva obrigado por estas informações em vosso site, porque agora tenho uma Família completa.

Maria das Graças Machado Tolomelli - Manoel Honório - Juiz de Fora - MG - 09/03/2013
Sou neta, do já falecido escrivão de paz Camilo Pereira Machado "o Camilinho," e de Ermelinda Machado. Meu avô fez o casamento de minha mãe que era menor Deolinda Dias Taxa com Luiz Gonzaga Machado. Vovô era do bem, respeitado e temido! Eu tive muitos tios: Juca da venda, tio Miguel,Ritinha, Cilica, Zezé,tio Chiquinho morreu muito moço, tio Neném, todos paternos. Meu padrinho era o Helvécio delegado,O Agostinho da banda, padrinho da minha irmã.Somos seis irmãos vivos! Tenho muita saudades desses tempos passados! O nome completo do meu vô era Camilo Pereira Machado. Abraços.

Asséde Paiva - Volta Redonda - RJ - 22/02/2013
Adair! Tente encontrar o livro A saga dos Fonseca e Machado. O autor Raimundo Fonseca mora em JF (ou morava)....

Asséde Paiva - Volta Redonda - RJ - 19/02/2013
Caro Eleakim, minha avó materna Maria Ignácia de Oliveira era irmã de Olímpia Aquino de Oliveira cc Manoel Jacinto de Oliveira (Manequinho Lulu); Maria de Oliveira (minha tia-avó) cc José Lulu de Oliveira; Ambrozina Aquino de Oliveira cc Francisco Lulu de Oliveira. Há uma dúvida aqui, pois minha tia-avó Maria Aquino de Oliveira (Zizinha) consta em meus dados como esposa de Nicolau Barra. Enfim, não sei se esclareci ou se confundi mais um pouco. Mas não há dúvida que temos raízes no mesmo tronco. Asséde Paiva.

Eleakim - Porto Velho - RO - 17/02/2013
Olá. Primeiramente gostaria de parabenizá-lo pela excelente matéria publicada sobre Rosário de Minas. Muito bom conhecer um pouco de nossas origens, nesta matéria o sr cita diversos nomes de famílias e de pessoas, onde contei para minha mãe e ela reconheceu vários destes nomes, contou também diversas situações e lugares que minha mãe já havia contado para mim, por isso me identifiquei muito com a matéria. Sou um apaixonado por história, com isso, gostaria de saber um pouco mais sobre a origem de minha família, que por parte de mãe é totalmente rosarense. Queria saber se o sr se lembra de meu avô, o qual não tive a oportunidade de conhecê-lo em vida, Joaquim LuLu e minha avó Maria de Oliveira - Zizinha - eles moravam, não tenho certeza se é na estrada para Palmital, na fazenda da Boa Vista e tiveram dez filhos. Minha avó estava viva até ano passado, vindo a falecer em 15 de dezembro com 97 anos! Obrigado.

Adair Franco dos Reis - Belo Horizonte - MG - 11/02/2013
Sr Assede, me desculpe. Estava me esquecendo dos dados sobre o caçula de João Leite de Oliveira e Francisca de Paula Almeida. 6.13 - Manoel Jacinto de Almeida, bat. 11-01-54 e em 17-04-80 cc Emília de Paula Almeida, filha de Antônio José Rodrigues e Rita Francisca de Almeida. Manoel, enviuvando, se casou com Maria Clara de Assunção, filha de Joaquim Inácio Franco e Rita Moreira da Silva. Obs.: Peço, por razões óbvias, não se tornarem públicas estas informações, mesmo porque, para tal, ainda não pedi permissão ao meu colega de pesquisa. Favor aguardar. Obrigado.

Adair Franco dos Reis - Belo Horizonte - MG - 11/02/2013
Sr Assede, Aqui estão alguns dados genealógicos que poderão lhe interessar. Frutos do trabalho de Adonias Ribeiro Franco e nosso: FRANCISCA DE PAULA ALMEIDA, 6ª FILHA DE JOSÉ ESTEVES DOS REIS E FRANCISCA DE PAULA ALMEIDA. 6 – Francisca de Paula Almeida, bat. 19-04-1814, c.c. João Leite de Oliveira, nasc. +- 1809, filho de João Leite de Oliveira e Rosa Jacinta do Sacramento. João faleceu em 05-04-1874 e Francisca faleceu em março de 1883. 6.1 – Geraldo Leite de Almeida, nasc. +- 1830 e em 07-09-53 c.c. Francisca Maria de Jesus, nasc. +- 1832. 6.2 – Rita Francisca de Paula, nasc. +- 1832 e em 17-10-49 c.c. Balbino Gomes do Nascimento, falecido em 1883. 6.2.1 – José Maximiano do Nascimento, em 17-05-82 c.c. Rita Francisca de Almeida, filha de Joaquim Leite de Oliveira e Felicidade Maria de Jesus. 6.3 – José Esteves de Oliveira, nasc. +- 1835, c.c. Ana Francisca Pires. José foi inventariado em 1881. 6.3.1 – Maria, nasc. +- 1863 6.3.2 – Emília, nasc.+- 1869 6.3.3 – Pedro, nasc. +- 1870 6.3.4 – Francisca, nasc. +- 1871 6.3.5 – Ana Cândida de Jesus, nasc. +- 1875 e em 15-02-95 c.c. Francisco Tobias da Silva, nasc. +- 1870, filho de Vicente Dias da Silva e Ana Cândida de Jesus. 6.3.6 – Rita, nasc. +- 1880. 6.4 – Maria Francisca de Jesus c.c. Francisco Antônio Correia 6.5 – Claudina Cândida de Almeida, bat. 16-04-38, c.c. Prudêncio Rodrigues de Almeida, filho de Antônio José Rodrigues e Rita Francisca de Almeida. 6.6 – Prudêncio Leite de Almeida, bat 15-09-39, c.c. Paulina. 6.7 – Joaquim Leite de Almeida, bat. 19-03-43, c.c. Felicidade Maria de Jesus, filha de Joaquim Fidelis Franco e Rita Maria de Jesus. Felicidade faleceu em 07-01-73 6.7.1 – Rita Francisca de Almeida, em 17-08-82 c.c. José Maximiano do Nascimento, filho de 6.2. 6.7.2 – Francisca, nasc. +- 1868 6.7.3 – Joaquim, nasc. +- 1870 6.7.4 – Francisco, nasc. +- 1870. 6.7.5 – Maria, nasc. +- 1874. Joaquim Leite de Almeida casou-se, pela 2ª vez, com Ana. 6.8 – Cândida Leite de Almeida, bat. 08-09-44 c.c. Ladislau Ribeiro dos Reis, filho de Venâncio Ribeiro dos Reis e ........ Ladislau faleceu em 1875. 6.8.1 – Maria Cândida de Almeida, nasc. +- 1862 e em 24-03-79 c.c. Joaquim Dias Novais, filho de Francisco Dias Novais e Maria Teresa de Jesus. 6.8.1.1 – Avelino, bat. 07-05-89 6.8.1.2 – Laudemira, bat. 24-08-91 6.8.1.3 - Antero, bat. 12-02-97 6.8.2 – Laura Ribeiro dos Reis, nasc. +- 1864 c.c. Antônio José Rodrigues Neto, filho de Antônio José Rodrigues e Maria Joaquina de Almeida. 6.8.2.1 – Maria, bat. 15-01-97 6.8.2.2 - Alberto, bat. 18-07-99 6.8.3 – Ladislau Ribeiro dos Reis, nasc. +- 1868 e em 27-03-93 c.c. Joaquina Augusta de Almeida, nasc. +- 1874, filha de Antônio Leite de Almeida e Maria Luiza de Almeida. 6.8.3.1 – Bermínia de Paula Almeida, bat. 24-10-90 6.8.3.2 – Vitória, bat. 22-09-97 6.8.3.3 – João, bat. 25-09-99. 6.8.4 – Francisca de Paula Almeida, nasc. +- 1869 c.c. Gabriel Dias Novais, filho de Francisco Dias Novais e Maria Teresa de Jesus 6.8.4.1 – Albertino, bat. 03-03-96 6.8.4.2 – Sebastião, bat. 07-04-97 6.9 – Antônio Leite de Almeida c.c. Maria Luiza de Almeida, filha de Francisco Joaquim Machado e Joaquina de Paula Almeida. 6.9.1 – Joaquina Augusta de Almeida, nasc. +- 1874 e em 27-03-93 c.c. Ladislau Ribeiro dos Reis, filho de Ladislau Ribeiro dos Reis e Cândida Leite de Almeida. 6.9.1.1 – Vitória, bat. 22-09-97 6.9.1.2 – João, bat. 25-09-99 6.9.2 – Bermínia de Paula Almeida, bat. 24-10-90 6.10 – Vicente Leite de Oliveira c.c. Francisca de Paula Oliveira, filha de Marcelino Gonçalves de Oliveira e Paulina Maria da Conceição 6.11 – Constâncio Leite de Oliveira c.c. Maria Verônica da Silva, filha de Domingos Fernandes de Carvalho e Maria Antônia da Silva. 6.11.1 – Domingos Fernandes de Carvalho em 21-02-1900 c.c Maria Pereira de Paiva, filha de Joaquim Vicente Pereira e Delfina Joaquina de Paiva. Dados de Assede Paiva: 6.11.2 – “Avelino Leite Fernandes Cc Joaquina Mariana de Paula 6.11.3 - Jovelino Leite de Oliveira Cc Maria Novais (irmã do tio Camilo) 6.11.4 - Vicente Leite de Oliveira (tio Cecente) Cc (?) 6.11.5 - Francisca Leite de Oliveira Cc Joaquim (Quinzinho) 6.11.6 - Biá Cc Francisco Borges 6.11.7 - João Pereira Fernandes Cc (?) 6.11.8 - Carlos Pereira de Paiva (São Luís de Paraitinga) Cc (?)” 6.12 – Francisca de Paula Almeida c.c. Francisco Gonçalves da Costa. Francisco foi inventariado em 1874. 6.12.1 – Maria Francisca de Paula, nasc. +- 1868. No final do inventário do pai se licenciava para se casar com Manoel Pereira Lisboa. Porém em 1897 aparece casada com Albano Felício Fernandes, filho de Felício Ribeiro Fernandes. 6.12.1.1.- Maria, bat. 06-07-97. 6.12.2 – Francisco, nasc. +- 1870 6.12.3 – João, nasc. +- 1872. 6.12.4 – Rita, nasc. +- 1874. No final do inventário do pai, também, se licenciava para se casar com Francisco Aquino Ramos. A viúva Francisca (6.12) se casou pela 2ª vez com Joaquim Mendes Esteves. Um abraço.

Adair Franco dos Reis - Belo Horizonte - MG - 09/02/2013
Conforme pesquisa de Adonias Ribeiro Franco, uma sobrinha de Constâncio Leite de Oliveira, por nome de Rita e nascida em 1874, se casou com Francisco de Aquino Ramos. Acredito que Rita tenha sido a filha caçula de Francisco Gonçalves da Costa e Francisca de Paula Almeida. Esta, com o falecimento do marido em 1874, se casou pela 2ª vez com Joaquim Mendes Esteves. Um dado à parte, sr. Assede, a sua trisavó, mãe de Constâncio, era irmã da minha tetravó, Joaquina de Paula Almeida. Filhas, portanto, de José Esteves dos Reis e Francisca de Paula Almeida.

Asséde Paiva - Volta Redonda - RJ - 08/02/2013
Chiquinho de Aquino, meu tio-avô, só o vi uma vez. Nada mais sei. Lato senso todos somos parentes.

Adair Franco dos Reis - Belo Horizonte - MG - 26/01/2013
Sr. Asséde, Manoel Jacinto de Almeida, o irmão caçula de seu bisavô Constâncio Leite de Almeida, se mudou para Caratinga no final do século XIX, acompanhando seu sogro Antônio José Rodrigues Júnior. Manoel (para nós tio Neca Leite) perdendo sua 1ª esposa, Emília de Paula Almeida, se casou com a minha tia Maria Clara de Assunção, filha de Joaquim Inácio Franco e Rita Moreira da Silva. Seus descendentes se acham espalhados, na sua maioria, pelos municípios de Caratinga, Entre Folhas, Ipaba e Ipatinga.

Adair Franco dos Reis - Belo Horizonte - MG - 26/01/2013
Sr. Asséde, uns poucos Franco, Machado, dos Reis, Moreira etc, naturais de Rosário e adjacências, no final do século XIX se mudaram para Caratinga - MG. Sou descendente dessas famílias. Queira, por favor, matar uma curiosidade minha: a Rita Francisca de Almeida cc Francisco de Aquino Ramos, seria filha de Francisco Gonçalves da Costa e Francisca Paula de Almeida?


Maria Jose - Três Corações - MG - 11/01/2013
Oi Sr. Asséde, tenho orgulho de dizer que sou Rosarense, amo minha terra. Sou neta de Antonio Alves de Oliveira (Tonico Carrinho) nossa casa fica na rua principal e esta na foto que o Sr. publicou. Obrigada por divulgar a história do nosso Rosário.

Asséde Paiva - Volta Redonda - RJ - 28/12/2012
Helvécio filho de Camilo Novais e tia Ovídia era meu primo segundo grau. Eu gostaria de ter um retrato da fazenda deles: a Cachoeira.

Asséde Paiva - Volta Redonda - RJ - 28/12/2012
Você é parente de Lisandro Franco que foi casado com Maria Gabriela e moraram muitos anos em Chapéu D'Uvas?

Sara Istefeny Franco - Grajaú - Juiz de Fora - MG - 28/12/2012
Lendo essa matéria de rosário de minas,pude conhecer melhor rosário. Achei tudo tão fascinante,que estou até emocionada, minha geração é diferente,mas posso lhe dizer que rosário ainda continua lindo e pacato como sempre foi. Estou tão emocionada de ler o que o senhor contou que fico vendo imagens, melhor dizer criando imagens para saber como era. Hoje tenho 21 anos e posso dizer que apesar de não morar mais lá, minha família toda reside lá, somos os Francos e todo final de semana vou para Rosário pois sei que lugar igual aquele jamais existira e sei que um dia quando eu morrer será lá que serei enterrada. Como você diz tenho orgulho de ser rosarense! Obrigado por compartilhar sua história com nós, e se um dia der volte para visitá-lo Rosário nunca esquece de quem já viveu lá.

Cristieny Franco - Juiz de Fora - MG - 20/12/2012
Olá Asséde, sou neta de Corália Pereira Franco e Pedro Pereira Franco (avós paternos) e José Fernandes de Sá e Nair Maria de Jesus (avós maternos). Vejo nesta matéria as mesmas história que meu pai (José Maria Franco) nos conta desde criança. Fico muito feliz de ver que a verdadeira história de Rosário é contada por você com tanto amor e carinho. Não vivi naquele tempo gostaria de ter vivido. Mas passei lá por muitos momentos enriquecedores.Hoje Rosário geograficamente e a mesmo, lá ainda vivem algumas pessoas das famílias que você citou, mas infelizmente algumas das pragas do mundo já chegaram por lá. Obrigado pela declaração de amor e descrição de um lugar que faz parte da minha história.

Mirian - Rosário de Minas - 20/12/2012
Sou neta do Helvécio o delegado, meu pai conta algumas histórias interessantes, não moro mais lá, tem 7 anos que sai de lá, mas fui criada ouvindo essas histórias sobre meu avó... o delegado Helvécio.

Marcio Rodrigues Ramos  - Bananal - SP - 02/11/2012
Meu pai era desta família, dos Aquino Gomes e dos Guedes, ele dizia pra gente que os pais dele era muito rico em Rosário de Minas e Bias Fortes. Vou procurar em minha casa em Bananal, lá tem certidão de nascimento e casamento dos meus avós paternos, e tenho parentes em Conservatório também. Antonio Gomes de Aquino Ramos e Belmira Pereira dos Reis eram meus avós. Tenho muita saudade do meu pai já falecido ano passado, ele tinha muita coisa guardada e nunca falava nada pra ninguém. Muitas histórias que eu tenho curiosidade de saber sobre meu pai e avós que moram em Barra Mansa e minha mãe em Bananal. Espero poder contar com você, pelo jeito temos um grau de parentesco, gente. Meu falecido pai era filho de Antonio Gomes de Aquino Ramos e Belmira Pereira dos Reis, seus avós paternos eram Manoel Gomes de Aquino Ramos e Rita Umbelina de Almeida e avós maternos Sebastião José Pereira e Rita Carolina dos Reis. Pretendo uma hora ir passear em Rosário de Minas.

Asséde Paiva - Volta Redonda - RJ - 16/08/2012
Os Aquino Ramos são parentes meu, sim. Em Volta Redonda, onde moro, têm muitos Aquino Ramos. Infelizmente conheço só um Antônio de Pádua Ramos que é meu primo terceiro ou segundo grau. Meus tetravós maternos tiveram estes filhos: Maria Umbelina de Castro cc Antônio e depois Ezequiel; Antônio Aquino Ramos cc Rita e depois Valdmira (Belmira?); Antero Gomes de Aquino Ramos cc Savina; Anselmo Gomes de Aquino Ramos cc Davina; João Ramos cc Ana Timóteo de Almeida; Francisco Aquino Ramos cc Rita Francisco de Almeida; Umbelina Carolina cc João Carlos da Cunha Afonso; Inácia de Aquino cc Eusébio; Ana Aquino Guedes cc Antônio Rafael Guedes; Maria Aquino Ramos cc Liberalino Belaco. Espero ter ajudado um pouco.

Antônio de Pádua Ramiro - Belo Horizonte - MG - 13/08/2012
Asséde, sou filho de Maria de Aquino Ramiro, nascida em Rosário de Minas, filha de Antônio Gomes de Aquino Ramos e de Belmira Pereira dos Reis. Meu pai, também já falecido como minha mãe, é Mário Pinto Ramiro (nascido em Sta. Bárbara do Monte Verde). Parece-me que, ainda hoje, há algum filho(a) de meu avô Antônio Gomes de Aquino Ramos morando em Conservatória/RJ, e, com certeza, netos dele. Tive uma irmã casada com um filho de Ernesto Pereira Machado também nascido em Rosário. Tenho um livro sobre a história de Rio Preto/MG e até vou pesquisar nele alguma citação a respeito de Rosário. Um abraço.

Asséde Paiva - Volta Redonda - RJ - 13/09/2011
Maria Helena, não conheci a família Portes. Meus pais falavam em Ivo Portes e Altivo Portes. Quanto à fazenda são Mateus, a que me refiro pode ser vista neste site em meu texto
Semeador de Jabuticabas.

Asséde Paiva - Volta Redonda - RJ - 13/09/2011
Consolação, existiam fazendas e sítios com nome são Mateus a de meu avô está no texto com nome de Semeador de jabuticabas, neste site de Alessandra Patrícia.

Maria Helena Barra Portes - São Mateus - Juiz de Fora - MG - 09/06/2012
Sou rosarense, filha do dentista de Rosário Pedro dos Reis Portes e Geralda Barra Portes. Gostei da reportagem e fiquei saudosista da nossa terra. Nossa casa é o sobrado , branca de janelas azuiz que fica em frente ao coreto. Se possível me mande mais informações. Obrigada.

Consolação Portes - São Mateus - Juiz de Fora - MG - 08/06/2012
Oi Asséde .. Tudo bem? Lendo tudo que você escreveu sobre Rosário achei legal, fez me lembrar dos meu tempo que lá passei.. pude ver que você é mesmo um grande rosarense... sou filha de Pedro Portes, do qual era Dentista de Rosário... não sei se é do seu conhecimento... o casamento de meus pais foi realizado na fazenda de são Mateus... continue escrevendo tudo que você recorda de lá, valeu... de repente você conhece alguém da minha família... comunica... abraços.

Helena de Paula - São Paulo - SP - 13/09/2011
O nome da minha tia era Mara e a prima Aracy. Morreram no pontilhão um trem as pegou. Agora lá em Chapéu D'Úvas só resta minha tia Odete. A familia toda descansa em paz em Paula Lima, inclusive meu pai e minha mãe! Um beijo para ti!

Asséde Paiva - Volta Redonda - RJ - 13/09/2011
Helena! Gostaria de saber o nome de sua tia e prima. Acho que as conheci.

Helena de Paula - São Paulo - SP - 18/09/2011
Olá Asséde tudo bem? Estou adorando ler tua história a cada cap. eu me identifico mais e mais, pois não sei se e a mesma, mas meu pai falava muito da fazenda São Mateus, seria a mesma? Ele trabalhou por longos anos nesta tal fazenda. Já minha mãe falava muito de um lugar chamado Dores de Paraibuna, conhece? Falava em Colônia de São Firmino. Você me perguntou sobre meu tio avô Beijo Micó. Eu só vi ele quando tinha uns 4 aninhos. Não tenho certeza mais ele era casado a Isaura. Tio Mimi faleceu faz um tempinho. Entre sempre que quiser em contato comigo! Um beijo!
 
  
    Comente!
 
 
 topo
© direitos reservados desde 2008 -  benficanet.com - contato@benficanet.com