..................................................................................................................................................................
Recordar é Viver!

por Asséde Paiva
(rosarense), bacharel em Direito e Administrador. Autor de Organização de cooperativas de consumo (premiado no IX Congresso Brasileiro de Cooperativismo, em Brasília); Brumas da história do Brasil. RIHGB nº 417, out./dez. 2002; Possessão, São Paulo: Ícone Editora, 1995; O espírito milenar, Goiânia: Editora Paulo de Tarso, s.d. Trabalhou na CSN 35 anos.

5069 acessos.

 
..................................................................................................................................................................
Nótulas históricas sobre Paula Lima / Chapéu D’Uvas

Preliminarmente, Paula Lima, ontem, era Chapéu D’Uvas, hoje. Pertencem ao município de Juiz de Fora. O lugar floresceu no século XVIII, com o nome de Chapéu D’Uvas. Chegou a ser elevado a paróquia, em 1764, com o título de Nossa Senhora da Assunção do Engenho do Mato, “no lugar de Chapéu D’Uvas”. Era, entretanto, designado comumente como Engenho do Mato. Saint-Hilaire, ao visitar o arraial de Chapéu D’Uvas registrou: “A paróquia de Chapéu D’Uvas, também denominada “Nossa Senhora da Assunção do Engenho do Mato...” (Viagem pelas Províncias do Rio de Janeiro e Minas). Ao que parece, depois que o Caminho Novo para o Rio de Janeiro passou a ser preferido e mais movimentado, o arraial entrou em decadência e perdeu a regalia de sede da paróquia. Esta só foi criada novamente com a lei n. 2.921, de 26 de novembro de 1882, com o título de Nossa Senhora do Rosário de Chapéu D’Uvas. Teve sua instituição canônica em 12 de novembro de 1884; o primeiro vigário foi Pe. Antônio Cabrese. (Con. Trindade). A denominação de Chapéu D’Uvas, anterior à criação da primeira paróquia, em 1764, das mais tradicionais de Minas, foi mudada para Paula Lima pelo decreto n. 442, de 24 de março de 1891. (In Dicionário histórico e geográfico de Minas Gerais, p.351).

“A localidade mais notável que se encontra entre Antônio Moreira e Retiro é Chapéu D’Uvas... a espécie de oásis que acabo de descrever se acha rodeada por imensas florestas. Essa localidade respira calma encantadora”. Saint-Hilaire, Viagem à Província de RJ e MG, p.103, Fundação Biblioteca Nacional (FBN) IV-356,5,13.

Engenho de Chapéu D’Uvas ou Engenho do Mato: engenho mais uma pequena igreja com 13 casas, in João Emanuel Pohl, FBN 406,7-20, p.192.

P. 116 (talvez doc. da antiga EFCB/RFFSA, hoje MRS; Chapéu D’Uvas — km 303.211
Alteração de Chapetuva: xa, ver; pé, caminho; uva, água parada — caminho visto no pântano. A região foi outrora um extenso tremedal, um atoleiro enorme. É uma pequena povoação; está à direita, a indefectível capella [de são José]. A estação serve ao distrito de Paula Lima (sede, a 3 km, a nordeste, a que está ligada por uma regular estrada de rodagem. Prosseguindo, o trem atravessa pela última vez o Parahybuna (ponte de Chapéu D’Uvas, de 24, 25m (km 303.289), enveredando, agora na direção norte, pelo tortuoso vale do ribeirão Tabões, várias vezes (sete)...

.........................................................................................................................
A freguesia de Chapéu D’Uvas compreende também o distrito de João Gomes, que na parte civil pertence ao Município de Barbacena, p. 72, in Noções geográficas e administrativas de MG
Chapéo D’Uvas, por sua vez pertencia ao município de Parahybuna
.........................................................................................................................

Em Corografia histórica da Província de MG, p. 103, de Cunha Matos:
Engenho do Mato. Grande distrito paroquial em que, até ao presente, se não levantou arraial algum, existindo junto à igreja matriz, a pouca distância da margem direita do córrego do Chapéo D'Uvas, só duas boas casas; e um pouco mais ao sul, o grande engenho de cana que deu o nome ao mesmo distrito. A igreja dista do Rio de Janeiro 45 léguas, e da cidade de Ouro Preto 33 sobre a estrada da capital do Império para Barbacena. O distrito próprio do Engenho do Mato dista 11 léguas da cabeça do termo. Tem 83 fogos e 657 almas. Dependem deste grande distrito, os pequenos que se seguem: Arraial de Antônio Moreira; Arraial de Formoso; Dito de São Miguel e Almas...

Chapéu D’Uvas... É assim chamado por causa de um velho cultivador de parreiras que permita aos sedentos encher o chapéu de cachos de uva. In Richard Burton: Viagem do Rio de Janeiro a Morro Velho; IV298-7-2, p.66.
.....................................................................................................................................
Para saber muito mais:

Páginas 499-512, in Album do Município de Juiz de Fora, por Albino Esteves, 1913.

BURTON, Richard F. Viagens ao planalto do Brasil, (1868). Brasiliana. São Paulo: Cia. Editora Nacional, 1941, pp. 120-1.

POHL, Johann B. Emanuel. Viagem no interior do Brasil. Rio de Janeiro: INL, 1951.

Fonte das fotos abaixo: http://stad.com/index.php
Paula Lima - Juiz de Fora - MG
Paula Lima - Juiz de Fora - MG
Paula Lima - Igreja Nossa Sra Assunção
     
Chapéu D'Uvas - Juiz de Fora - MG
Chapéu D'Uvas - Estação ferroviária
Marco da Estrada Real em um casarão - Paula Lima
Texto publicado no Benficanet em 09/10/2012
Comentários:


Silvania Aparecida Ribeiro - Chapéu D'Uvas - 03/06/2014
Adorei as fotos, pena que não tem da prainha, são lindas.

Josimar - Juiz de Fora - 20/07/2013
Gosto de matérias como essa, alguém pode me dizer mais sobre a Fazenda do Cafundão e dos Vieira Tavares, vi que na região de DIAS TAVARES, PAULA LIMA E CHAPEU D'ÚVAS eles eram bem importantes e vi pouca coisa sobre eles.

Helena de Paula - Praia Grande (litoral Sul de São Paulo) - 20/07/2013

Nesta matéria eu me emocionei deveras. Vi com saudades a estação de Chapéu D'Úvas. Lembrei-me de tantas vezes desembarquei ai para as férias escolares. O cheiro da terra molhada o cheiro de laranjas e mexericas o cheiro café e das broas de milho esta entranhado em minha alma. E creio ficarás para sempre na minha memória. Amei mais esta matéria. Já coloquei todas em meus favoritos para de vez enquanto eu volte a ler e reler... Abraços!

Josimar - Juiz de Fora - 26/10/2012
Gosto de matérias como essa, alguém pode me dizer mais sobre a Fazenda do Cafundão e dos Vieira Tavares. Vi pouca coisa sobre eles.

Alessandra Patrícia (Benficanet) - 10/10/2012
Sr. Asséde, seu zelo com as palavras, tão constantes pesquisas e carinho com a história local, merecia algumas ilustrações. Abraço e obrigada por mais esta participação.

Asséde Paiva - Volta Redonda - RJ - 10/10/2012

Amiga Alessandra! Você arrasou, enriqueceu o texto adicionando fotos de Paula Lima. No casarão morou Totonho Silva, gente fina família nota dez.
    Comente!
 
 
 topo
© direitos reservados desde 2008 -  benficanet.com - contato@benficanet.com