Entrevistada: Roseli Maria Pereira de Paiva     -    Abril de 2008
 

Funcionária da biblioteca Municipal Delfina Fonseca Lima, há mais de 22 anos, Roseli nos mostra o quão importante esse espaço na sociedade.



B.N.: Quando foi fundada a biblioteca Delfina Fonseca?
R.M.: Em 14 de dezembro de 1985. Permanecendo durante 10 anos no Centro Comunitário (atual Policlínica de Benfica). Após esse período ficou por 4 anos no Centro Comercial, em seguida esteve na rua Henrique Dias no atual prédio da COB, e atualmente, se encontra instalada na rua Marília, nº 631 em Benfica.

B.N.:
De onde vem a maior parte do acervo encontrado hoje na biblioteca?
R.M.: A maior parte é doação. Quando a biblioteca foi inaugurada, foram comprados 800 livros novos. Hoje com as doações, temos aproximadamente 8.500 títulos. Recebemos doações de várias pessoas e o material é selecionado por nós, ou seja, os que realmente estão em condições de uso, são encaminhados para sede com objetivo de serem catalogados, depois voltam para a biblioteca. Temos também, algumas assinaturas de revistas e jornais:  Época, Galileu, Carta Capital, Jornal Tribuna de Minas, Diário Regional e Folha Dirigida.


B.N.:
Hoje, qual o maior público que freqüenta a biblioteca?

R.M.: Adolescentes com objetivo de pesquisa escolar, apesar da biblioteca de Benfica não ter essa finalidade, ainda assim os estudantes encontram maior parte do que procuram. Apenas coisas mais recentes que se torna mais difícil.

B.N.:
Nos últimos anos a procura por livros aumentou ou diminuiu?
R.M.: Com certeza triplicou. Mesmo tendo hoje, o grande acesso a Internet.

B.N.:
A biblioteca oferece algum outro tipo de serviço?
R.M.: Sim. A Internet popular.

B.N.:
O que é mais procurado ?
R.M.: Pesquisa de assuntos gerais. Empréstimo de literatura infanto-juvenil, romance, drama, policiais, um pouco de comédia e também as literaturas espíritas são bastante procuradas.

B.N.:
Existe alguma ajuda da iniciativa privada?
R.M.: Não.
B.N.: Quantos funcionários trabalham hoje na biblioteca ?
R.M.: Cinco funcionários. Sendo quatro todos os dias, e nas segundas, quartas e sextas contam com mais um funcionário.

B.N.:
Você almeja alguma melhoria para a biblioteca?
R.M.: Sim. Um espaço próprio, onde também pudesse ter uma videoteca. Uma impressora, para auxiliar e agilizar o uso do espaço "Internet popular", que se utiliza de dois computadores. Uma copiadora, para evitar que os livros saiam da biblioteca e venham a se extraviar ou danificar, mesmo porque, determinados livros a biblioteca não autoriza que sejam levados, com isso dificulta ao pesquisador a cópia de alguma figura ou texto.

B.N.: Qual o horário de funcionamento e o que precisa para se cadastrar ?
R.M.: Estamos aqui a partir das 8:00. E após organizarmos o espaço abrimos para atendimento ao público às 8:15. Fechando às 17:45 para que até às 18:00 façamos uma breve limpeza para dia seguinte. E para se cadastrar, solicitamos documento de Identidade e comprovante de residência atual. Menor de 16 anos, necessita que seja retirado na biblioteca uma ficha de autorização, para que o responsável preencha e assine, concluindo assim o cadastro.



Delfina Fonseca Lima
  nasceu na zona rural do município de Lima Duarte, Minas Gerais, em 5 de maio de 1911. Ainda criança veio para Juiz de Fora iniciar seus estudos no internato do Colégio José Bicalho. Concluiu o curso ginasial no Colégio Granbery o magistério na Escola Normal Oficial, em 1932, integrando a primeira turma de diplomandas. Lecionou nas escolas estaduais Antônio Carlos, Almirante Barroso e Professor Lopes, sendo que desta última foi integrante do grupo de fundadores. Apreciava cinema e uma boa leitura. Delfina Fonseca Lima, Dona NONOCA, faleceu em 29 de dezembro de 1980.
Os interessados em participar do crescimento da biblioteca Delfina Fonseca Lima, ajudando de alguma forma, ou até mesmo para doar livros ou material de pesquisa, entre em contato conosco pelo e-mail contato@benficanet.com ou pelo telefone da biblioteca (32)3222-4220.
 

topo

benficanet.com - contato@benficanet.com