Entrevistado:  Dr. Roberto Neme        -          Maio de 2008
 
Atuando como Diretor da policlínica de Benfica há quatro anos, Roberto Neme que é médico pediatra e também realiza plantões nas terças e quintas à noite, concedeu ao Benficanet essa entrevista.

B.N.: Há quanto tempo a policlínica de Benfica presta serviços à comunidade?
R.M.: Foi inaugurada há 24 anos pela Secretaria Estadual de Saúde, e vem prestando atendimento à população da região. Começou com atendimentos ambulatórios, foi crescendo e sofrendo modificações  devido  aumento da demanda.
 Assim foi se adaptando às necessidades da população.

B.N.:
Qual é a abrangência do atendimento?
R.M.: Abrange toda a região norte, isso em torno de 130 mil pessoas. Inclusive toda essa região rural, como Barreira, Humaitá, Igrejinha, Palmital, Penido, Rosário, Toledos, pois como fazemos parte do SUS, atendemos o que aparecer. Fizemos um levantamento recente, até interessante, e concluímos que nós já atendemos pacientes de Bicas, Guarará, Santos Dumont, Conselheiro Lafaite, Betim, São João Nepomuceno, Nova Lima, BH , e até de Mato Grosso... fizemos esse apanhado e em 15 dias, foram atendidas 14 pessoas de cidades diferentes.

B.N.: Qual é o horário de atendimento ao público? Todos os casos são atendidos aqui?
R.M.: Atendimento ambulatorial é de 7 às 19 horas e o plantão funciona 24 horas por dia, não pára.
A maioria dos casos resolvemos aqui, somente quando necessário encaminhamos para o HPS que é nossa referência. Por exemplo, não temos serviços de traumatologia, então fazemos uma pré-avaliação, depois encaminhamos. Também nos casos de cirurgia.

B.N.: Quais as especialidades médicas que estão á disposição da comunidade? Qual a mais procurada?
R.M.: Na parte ambulatorial temos ginecologia, pediatria e clínica médica. Atendimentos secundários temos cardiologia, dermatologia reumatologia e o ambulatório também atende diabetes e hipertensão. O plantão é de clínica médica e pediatria. E o mais procurado é clínica médica.

B.N.:
Qual a maior dificuldade encontrada hoje pela policlínica?
R.M.: A maior dificuldade hoje é o aumento grande da demanda. Há uma tendência, não só em Juiz de Fora, mas no Brasil todo, das pessoas procurarem muito a emergência, deixando às vezes o atendimento básico, que em situações muito simples poderiam ser resolvidas nas UBS dos bairros, gerando um desgaste muito grande pra todos, pois 70 por cento das consultas na urgência hoje, poderiam ser resolvidas em ambulatório.
 

B.N.: A construção do tão sonhado Hospital da Zona Norte irá melhorar o funcionamento da policlínica?
R.M.: Acredito que deve funcionar bem, pois o HZN contemplou a questão da urgência e emergência, e neste caso vem a implementar, ajudando a descentralizar o atendimento da policlínica.

B.N.: Quais os tipos de exames são oferecidos à comunidade?

R.M.:

B.N.: Existem reclamações por parte dos pacientes com relação ao atendimento?
R.M.: Nós estamos aqui com duas estagiárias de serviço social, e estamos fazendo uma pesquisa de opinião, e a demora de atendimento é a principal reclamação, como eu disse, devido ao aumento da demanda e a procura indevida dos serviços de emergência, que muitas vezes poderiam ser resolvidos na própria unidade do bairro.

B.N.: Como funciona o sistema de marcação de consultas?
R.M.: No plantão nós temos a recepção que atende 24 horas. Temos há uns 7 anos, a recepção da pediatria que funciona separada, justamente para não deixar misturar crianças e adultos. Para atendimento de ambulatório as consultas são marcadas no dia, partir das 6 horas da amanhã. Algumas consultas são marcadas através da central de marcação, quando o paciente é referenciado para o PAN Marechal, nós temos aqui o serviço de marcação pelo telefone, e agendamos a consulta lá para o PAN Marechal.

B.N.:
Hoje, tanto o espaço físico quanto o corpo clínico, a policlínica tem condições de atender a demanda de consultas?
R.M.: Estamos esperando exatamente o HZN, que se não houvesse, ou não fosse criado, nós já tínhamos uma ansiedade mais antiga, de se separar a urgência e emergência de atendimento básico e oferecer um atendimento mais humanizado à população. Essa era nossa grande vontade, mas com a vinda do HZN, isso se resolveria. 

 
A Policlínica de Benfica se localiza a Rua Guararapes, 106 - Benfica - Tel.: (32) 3222-1115

topo

© benficanet.com - contato@benficanet.com