Fique Sabendo Benficanet - 01/08/2018
Segundo o comandante da 4ª Região da Polícia Militar, coronel Alexandre Nocelli, possível fechamento do posto policial em Benfica não procede.

124 acessos

Fonte: Tribuna de Minas
https://tribunademinas.com.br/noticias/cidade/31-07-2018/policia-militar-confirma-reforco-com-16-bases-moveis-em-juiz-de-fora.html

Por Sandra Zanella
31/07/2018 às 20h15 - Atualizada 31/07/2018 às 20h42

 

Dezesseis bases móveis comunitárias serão espalhadas por toda Juiz de Fora para reforçar o policiamento em pontos considerados estratégicos e de grande fluxo. O anúncio foi feito na manhã desta terça-feira (31) pelo comandante da 4ª Região da Polícia Militar, coronel Alexandre Nocelli. Em debate na Rádio CBN sobre segurança pública, ele utilizou o termo “fake news” para definir as informações que circularam pela cidade recentemente sobre o possível fechamento dos postos policiais dos bairros São Mateus, na Zona Sul, e Benfica, na região Norte. Os boatos surgiram exatamente após o Governo de Minas lançar a expansão do projeto das bases móveis, e, em Benfica, os moradores chegaram a fazer um abaixo-assinado pela permanência do posto fixo que integra as ações do programa “Ambiente de paz”, na Praça Jeremias Garcia.

Essa fake news de que vão fechar os postos é desprovida de qualquer elemento fático. Não vamos fechar. Não fazemos nada para diminuir nossa potencialidade. Pelo contrário, queremos otimizar a questão do policiamento. O programa estadual da base de segurança comunitária foi precedido de um estudo técnico aprofundado e visa a aproximar a instituição da comunidade. A diferença dessas bases é o aporte tecnológico. É um veículo, com toda estrutura acoplada. Além de registrar ocorrências e termos circunstanciados, tem interface com o Olho Vivo: o policial que estará dentro desta base observará câmeras do entorno onde estiver posicionado. É uma série de ingredientes que vem agregar o policiamento”, afirmou o coronel.

O comandante revelou alguns locais que receberão as bases móveis, divididas entre o 2º e o 27º batalhões, além do esquema de funcionamento, previsto para acontecer das 14h às 23h. O efetivo será composto por quatro militares, e dois deles circularão em motos pelas áreas em rotinas de patrulhamento. Cada uma das sete regiões do município deverá contar com pelo menos duas unidades. No Centro, os veículos estarão no Parque Halfeld e próximos às praças do Riachuelo e Antônio Carlos. Na Zona Sul, nos bairros São Mateus e Alto dos Passos, mais precisamente na praça do trevo do Bom Pastor. A praça de Benfica e a parte da Avenida JK que corta o Francisco Bernardino serão os pontos da Zona Norte. A Avenida Presidente Costa e Silva, no São Pedro, e as imediações do Independência Shopping também estão entre as áreas estratégicas. Na região Sudeste, o modelo de policiamento comunitário deverá ser implantado na Vila Olavo Costa e no Vitorino Braga, este já próximo à Zona Leste. A Avenida Juiz de Fora, no trecho entre o Granjas Bethânia e o Grama, também é apontada, assim como o Mariano Procópio, para beneficiar a Zona Nordeste.

Apesar de garantir já ter sido realizado o estudo de onde as bases deverão ser instaladas, levando em consideração indicadores de crimes violentos e grande fluxo de pessoas e veículos, o coronel preferiu não detalhar todos os locais porque poderão acontecer mudanças. Ele também informou não haver previsão para a chegada das bases móveis e o começo das atividades.

“O pessoal de Belo Horizonte esteve aqui e passou em cada ponto que vamos colocar a base. A praça de Benfica é um local importante e estratégico em termos de segurança pública, como o São Mateus e o Parque Halfeld.”

Em meio à polêmica de que o novo modelo colocaria fim aos postos territoriais, o comandante ponderou que ocorrerão ajustes para conciliar os dois equipamentos: “Temos recursos, principalmente humanos, finitos. Não posso deixar um posto em Benfica e colocar uma base a 500m na Rua Martins Barbosa, gastando mais oito policiais. Seria incoerente. Vamos colocar a base na praça, onde há o Ambiente de Paz. Após as 23h, ela será recolhida, e o posto continua trabalhando. E assim vai ser no São Mateus. Em nenhum momento tivemos a ideia de fechar os postos. Seria um desserviço para a cidade. A comunidade pode ficar tranquila. Mas não vamos criar mais postos. Não temos condições estruturais para isso. Os locais desprovidos de policiamento mais ostensivo vão ter as bases.”

Questionado sobre a possibilidade de os criminosos aproveitarem o horário pré-determinado das bases móveis para agirem antes ou depois, o coronel Nocelli rebateu: “A base agrega a questão da tecnologia tão importante à atividade policial. Mas não vai ser exclusiva. As viaturas de rádio patrulhamento, de prevenção ativa, os táticos móveis e os grupos especializados continuam. Temos uma gama de atividades policiais nas ruas que não vão parar, à disposição da comunidade. Recebemos cerca de 60 mil ligações por dia no 190. A demanda é muito considerável.”

  
   Comente!

___________________________________________________________________________________________________________
© direitos reservados desde 2008 -  benficanet.com - contato@benficanet.com